Terça, 07 Abril 2020 17:53

Convênio Unifesp-Fundação Tide Setubal seleciona proposta para desenvolver pesquisa sobre a covid-19

Estudo visa avaliar os impactos da pandemia na Região Metropolitana de São Paulo, com foco nas áreas de maior vulnerabilidade

Por José Luiz Guerra

A Coordenação do Convênio Unifesp-Fundação Tide Setubal e do Edital de Projeto de Monitoramento, Análise e Recomendações diante da Pandemia de Covid-19 na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) selecionou a proposta que irá desenvolver pesquisa na área. Ao todo, foram recebidas e analisadas três propostas coordenadas por docentes da universidade.

A proposta selecionada será coordenada pela docente da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp - Campus São Paulo) Lumena Furtado. As demais propostas enviadas por Manoela Rufinoni e Rogério Schlegel, ambos professores da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH/Unifesp - Campus Guarulhos). O resultado final será publicado no dia 9 de abril.

A pesquisa tem o objetivo de elaborar estudos e propostas técnico-científicas para avaliação dos impactos da pandemia de Covid-19 na Região Metropolitana de São Paulo, com foco nas áreas de maior vulnerabilidade. Ela será realizada concomitantemente ao alastramento da pandemia. Deverão ser pesquisados e comparados territórios com diferentes perfis econômico e social na região metropolitana, por meio de recortes temáticos, caracterizando as situações de maior risco, iniquidade e vulnerabilidade, com análise crítica.

Além do monitoramento e análise crítica dos resultados, o edital pede recomendações para governos políticas públicas, sociedade civil e empresas para redução das desigualdades e vulnerabilidades ampliação do atendimento universal e fortalecimento do sistema no momento presente e para novos surtos e pandemias similares.

Pedro Arantes, pró-reitor de Planejamento da Unifesp e um os responsáveis pelo edital, celebrou o resultado. “O edital foi bem-sucedido. Foram três equipes multidisciplinares enviando propostas extremamente qualificadas, que foram avaliadas por uma banca de altíssimo nível”. Os membros selecionados para a composição da banca foram: Paulo Saldiva, Debora Silva Maria e Francisco de Assis Comaru (confira o mini currículo dos participantes no final da matéria).

A proposta escolhida será financiada com recursos no valor global de 160 mil reais, oriundos de acordo de cooperação entre as duas instituições. Mais informações estão disponíveis no edital.

Confira o mini currículo dos membros da banca:

1) Prof. Dr. Paulo Saldiva - Formado pela Faculdade de Medicina da USP em 1977, doutorado em 1983, Livre-Docente em 1986 e Professor Titular do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 1996. Concentra atividades de Pesquisa nas áreas de Anatomia Patológica, Fisiopatologia Pulmonar, Doenças Respiratórias e Saúde Ambiental, Ecologia Aplicada, Cidades e Saúde Humana, Humanidades e Antropologia Médica. Ciclista e gaitista. Diretor do Instituto de Estudos Avançados da USP desde abril de 2016. Membro colaborador do Conselho do Institutos de Estudos Avançados e Convergentes da Unifesp desde 2020.

2) Sra. Debora Silva Maria - É uma das principais ativistas de direitos humanos no Brasil. Fundadora movimento Mães de Maio, em 2006, após policiais assassinarem seu filho, no contexto de uma série de chacinas promovida pela polícia, conhecida como Crimes de Maio. Por conta de sua atuação em defesa dos direitos humanos, Debora Silva Maria foi agraciada com o prêmio "Dandara dos Palmares", em 2016, pelo Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra (CMPDCN) e pela Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial e Étnica (Copire) da Prefeitura de Santos. Em 2013, foi homenageada com o Prêmio Direitos Humanos, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, na categoria "Enfrentamento à violência". Mães de Maio também recebeu o Prêmio Santo Dias de Direitos Humanos 2011, da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana da Assembleia Legislativa de São Paulo. Realizou com a Unifesp a pesquisa “Violência de Estado no Brasil: uma análise dos Crimes de Maio de 2006 na perspectiva da antropologia forense e da justiça de transição”, apoiada pelo Newton Fund, British Council, em parceria com a Universidade de Oxford.

3) Prof. Dr. Francisco de Assis Comaru - Engenheiro civil pelo Instituto Mauá de Tecnologia (1992); Mestre pela Escola Politécnica da USP (1998), Doutor pela Faculdade de Saúde Pública da USP (2004). Foi Affiliate Academic na University College London/DPU, Londres (2011), Visiting Scholar na Organização Internacional do Trabalho, Genebra (2011) e Volunteer na Organização Mundial da Saúde, Genebra (2011), instituições onde realizou pesquisa de pós-doutorado, como bolsista do CNPq. Atualmente é Professor Associado na Universidade Federal do ABC. Orientador de mestrado e doutorado do Programa de pós-graduação em Planejamento e Gestão do Território da UFABC. É pesquisador do CEPEDOC Cidades Saudáveis da Faculdade de Saúde Pública da USP, colaborador do LABHAB FAUUSP e do Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos.

Lido 1361 vezes Última modificação em Quinta, 04 Junho 2020 11:33

Mídia