Projeto de um grupo de estudantes do Campus Baixada Santista é classificado para as semifinais de uma importante competição internacional de estudantes de Pós-Graduação

“The Geneva Challenge" é uma competição criada em 2014 pelo Instituto de Pós-Graduação de Estudos Internacionais e de Desenvolvimento (Graduate Institute of International and Development Studies, IHEID Geneva, Suíça). Segundo o IHEID, o desafio tem como o objetivo estimular novos pesquisadores para reflexão e a inovação tecnológica e social sob uma perspectiva interdisciplinar para solução de problemas contemporâneos.

“Não deixar ninguém para trás” é a premissa central da Agenda de Desenvolvimento Sustentável de 2030, alicerce para a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. Por isso, o tema do “The Geneva Challenge 2020” foi “Inclusão Social”.

O grupo, formado por estudantes do LABMAR (Júlia de Oliveira Gonzalez, Luis Henrique Barbosa, Luis Gustavo Bet e Wellington Fonseca) e SmartCity Lab (Mario Bueno), impulsionado pelo Prof. Dr. Fernando Ramos Martins, enviou uma proposta intitulada “e-Saniso”, que envolve o tratamento de resíduos sólidos a partir de um biodigestor, assim como, um purificador de água para tratamento de água com tecnologia Ultra Violeta (UV). Os estudantes Julia e Luis Barbosa estão matriculados nos programas de Mestrado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia do Mar; e Mario Bueno é estudante do programa em Bioprocessos e Bioprodutos, ambos oferecidos na Unifesp, Baixada Santista. Wellington é aluno do curso de Eng. de Petróleo e mestrando do Programa Interdisciplinar em Energia do IEE/USP e Luis Bet está matriculado na Engenharia Ambiental e está finalizando seu mestrado no Programa Análise Ambiental Integrada da UNIFESP.

Unifesp Baixada Santista participa de pesquisa internacional sobre o papel da atividade física no enfrentamento da COVID-19

A pesquisa, intitulada "Atividade física e estratégias de enfrentamento durante a pandemia de COVID-19", envolve 13 países e busca analisar como as pessoas reagiram ao período de quarentena em cada país e o que estão fazendo ou já fizeram em termos de atividade física, como possível estratégia de enfrentamento da doença. Estima-se a participação total de 20.000 pessoas.