Oportunidade para mostrar e divulgar seu interesse pela temática de resíduos no mar!

Durante o mês de junho ocorrerá a Grande Ação: Oceanos Livres de Plásticos, uma iniciativa liderada pelo Fórum da Cidadania, em parceria com o Instituto Pólis e diversos parceiros locais. Ela visa a conscientização da população frente aos grandes problemas que os resíduos plásticos provocam nos oceanos e nas regiões costeiras. Nós do Laboratório de Ecologia e Gestão Costeira (Leonardo Yokoyama, Barbara Lage e Ronaldo Christofoletti) fomos convidados a participar desta iniciativa e, dentre as diferentes atividades que ocorrerão ao longo de junho, estamos organizando uma exposição de fotografias dentro das temáticas “Resíduos Urbanos, Ambientes Costeiros e Oceanos Livres de Plásticos”. A exposição ocorrerá entre os dias 05 de junho e 01 de julho.

A participação nesta exposição será feita por meio de um concurso! No total, 15 fotografias serão selecionadas para a exposição no Museu de Pesca de Santos. A participação no concurso é aberta a todos os membros da comunidade UNIFESP do Campus Baixada Santista: discentes, terceirizados e servidores.

Os interessados em participar encontrarão mais informações sobre os prazos, a inscrição e o envio das fotografias no edital.

Mais detalhes sobre a Grande Ação: Oceanos Livres de Plásticos podem ser encontrados no link: https://www.facebook.com/events/201711220639922/.

 

 

 

 

 

 

 

Unifesp Baixada Santista sediou evento de abertura da Semana da Luta Antimanicomial da região

A Unifesp Baixada Santista sediou na última segunda feira dia 14/05, na Unidade Central, o evento de abertura da Semana da Luta Antimanicomial da região, sob o lema "Liberdade, dignidade e Respeito: 30 anos de luta por uma democracia antimanicomial".

O ato organizado pela Frente Antimanicomial da Baixada Santista com o apoio do Conselho Regional de Psicologia agregou usuários, familiares e trabalhadores dos serviços públicos da Rede de Atenção Psicossocial, bem como docentes e estudantes de graduação e pós-graduação da Unifesp, numa celebração às conquistas pelo cuidado em liberdade, convocando a união entre movimentos por diferentes lutas pela transformação das desigualdades de classe, etnia e gênero; antiproibicionistas; feministas, entre outros, para resistir aos avanços da política privatista, neoliberal e excludente.

Oficinas simultâneas aconteceram, incluindo espaço de beleza, ações de Redução de Danos dentro e fora da Universidade; produção de cartazes para a tradicional passeata no 18/05 em São Paulo, mobilizando para a Roda de Conversa: Conjunturas Manicomiais e Resistências Possíveis, que ocorreu em seguida.

 

evento_3_r.jpg

evento_5_r.jpg

evento_7.jpg

evento_2.jpg

evento_6.jpg

 

 

 

 

 

Programa Aprenda a Correr. Participe!

O Campus Baixada Santista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) está recrutando voluntários para fazerem parte de uma assessoria de corrida de rua.

Os corredores realizarão durante oito semanas, um programa de treinamento específico para a corrida, além disso, serão fornecidas planilhas semanais para os seus treinos.

O programa tem o objetivo de acompanhar corredores de rua, com o intuito de avaliar a diminuição da prevalência de lesões.

Para participar, é necessário ter entre 18 e 50 anos de idade, correr ao menos 20km por semana e não ter histórico de lesões nos membros inferiores nos últimos seis meses.

Inscrições e informações: (13) 99181-6030 (via WhatsApp®).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Projeto do LabecMar/Unifesp recebe verba para desenvolver projeto no Refúgio de Alcatrazes, litoral norte de São Paulo

Objetivo do estudo está em avaliar o perfil socioeconômico e a experiência dos mergulhadores

Por Mariane Santos

 

Refugio_de_Alcatrazes_credito_Fabio_S._Motta.JPGRefúgio de Alcatrazes


Em grande ascensão, o turismo de mergulho é uma das atividades recreativas que mais crescem no mundo. Buscando compreender a atividade de mergulho, que em breve será praticada no Refúgio de Alcatrazes, arquipélago que é considerado um ícone para conservação marinha do litoral norte de São Paulo, estudantes do Campus Baixada Santista da Unifesp desenvolveram um projeto para analisar esse cenário e foram contemplados com apoio da Fundação SOS Mata Atlântica e a Repsol Sinopec Brasil para o desenvolvimento do mesmo.

Trata-se do projeto “Análise do perfil Socioeconômico e Experiência dos Visitantes no Refúgio de Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes – São Paulo: contribuições a gestão do uso público”, do Laboratório de Ecologia e Conservação Marinha (LabecMar/Unifesp), em parceria com a Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo (Fap/Unifesp) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Participam da iniciativa a mestranda Marina Marconi, estudante do programa de pós-graduação em Biodiversidade e Ecologia Marinha e Costeira (PPGBEMC/Unifesp), e os graduandos Rael Moraes, da Engenharia Ambiental, e Caroline Portela, do Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia do Mar (Bict/Mar), sob a coordenação do docente Fabio Motta. Ainda integram a equipe, os pesquisadores Guilherme Pereira Filho, também do LabecMar, Vinicius Giglio da Universidade Federal Fluminense (UFF) e Débora de Freitas da Universidade Estadual Paulista - Júlio de Mesquita Filho (Unesp), Campus do Litoral Paulista.
 

Poma._Fabio_S.jpg


O refúgio será aberto à visitação ainda este ano e, diante dessa proximidade, o grupo considera imprescindível ações de monitoramento. Neste contexto, o projeto terá como objetivo traçar o perfil socioeconômico e a experiência dos visitantes (mergulhadores) com relação às suas preferências, motivações, satisfação e percepções sobre aglomeração e potenciais impactos do mergulho; construir o conhecimento de base sobre a dimensão humana do mergulho recreativo com o envolvimento e colaboração de gestores, mergulhadores e demais atores sociais; e compartilhar os resultados da pesquisa e contribuir com o ordenamento do uso público do local.

Para Motta, o projeto de pesquisa tem um forte componente de extensão, uma vez que se propõe a produzir conhecimento em parceria com diversos atores locais para juntos discutirem a melhor forma para conciliar a conservação do arquipélago de Alcatrazes com uma experiência de mergulho inesquecível aos seus visitantes.

Com o apoio, o estudo terá início no mês de junho.

Coordenador_do_Projeto_Prof._Fabio_Motta.JPGFabio Motta, coordenador do projeto

 
Crédito das fotos: Fabio Motta

 

 

Pró-Reitorias

Unidades universitárias

Campi

Links de interesse