Semana da Consciência Negra 2022 - Os 10 anos da lei de cotas: balanços e promessas para um futuro sem racismo

A Semana da Consciência Negra, evento anual da Unifesp, aberto à participação da sociedade, será realizada de 18 a 25/11, nos formatos on-line, presencial e híbrido.

Arte Teaser SCN Horizontal Portal Unifesp 

Neste ano, a semana está dedicada às reflexões sobre a lei 12.711, que completou 10 anos no mês de agosto. Conhecida como “lei de cotas”, a lei prevê que uma parcela das vagas das universidades e institutos federais sejam reservadas a estudantes oriundos(as) do ensino público a partir de critérios étnico-raciais, de renda e deficiência.

Embora o impacto dos 10 anos da lei não possa ainda ser estimado, as pesquisas já apontam para a ampliação da presença de estudantes negras e negros nas instituições de ensino, contribuindo para que o princípio da pluralidade seja de fato efetivado nas instituições de ensino superior.

Essa presença tem influenciado ainda a criação de políticas públicas complementares, voltadas à garantia da permanência estudantil, tal como acontece na Unifesp com o Programa de Auxílio para Estudantes.

Inicialmente liderada por estudantes negros e negras, a Semana da Consciência Negra vem sendo organizada na Unifesp desde 2010. Ao poucos, com a progressiva participação de docentes, ativistas culturais negros(as), acadêmicos(as) e militantes, a semana assumiu um modelo autônomo de ações e reflexões de combate ao racismo. Após a organização do Neab/Unifesp, em 2015, a Semana da Consciência Negra ganhou novo impulso, assumindo dimensões institucionais, como sua incorporação no calendário oficial.

Neste ano, o evento contará com inúmeras atividades culturais, acadêmicas e políticas nos formatos presencial, híbrido e on-line. A organização conta com a participação das pró-reitorias, dos campi da universidade, bem como dos seguintes coletivos de combate ao racismo: Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (Neab/Unifesp), Núcleo Negro Unifesp (NNUNG), Centro Dandara de Promotoras Legais Populares, Quilombolas - Núcleo de Mulheres Negras de SJC, Coletivo Negro de Psicologia - Sankofa, EPpen Preta e Observatório da Violência Racial (OVIR/CAAF).

Para mais informações, acesse o site: consciencianegra.unifesp.br.

Inscreva-se aqui!