ATIVIDADE DO MOVIMENTO NO CAMPUS ZONA LESTE COBRA VAGAS

 

ATO131216_1.jpg

Nesta terça-feira, 13 de dezembro, em reunião convocada por movimentos da Zona Leste em defesa da Universidade Federal, mais de 200 manifestantes, diversas lideranças e a reitora Soraya Smaili cobraram do governo federal que cumpra a pactuação do Campus Zona Leste, assinada em 2014. Veja a notícia completa

 

Padre Ticão, grande mobilizador em defesa da Unifesp Zona Leste, comentou que esse é um Campus dos trabalhadores, diferentemente de outras universidades públicas voltadas para as elites, e pediu a todos que ajudem a multiplicar um abaixo assinado cobrando a liberação de vagas de professores e técnicos e recursos para as obras. O Secretário de Serviços e Obras de São Paulo, Simão Pedro, prometeu iluminação interna ao Campus até 31 de dezembro. Edilson Mineiro, da União de Movimentos de Moradia, defendeu o Campus como oportunidade de formar profissionais e lideranças da classe trabalhadora. A Reitora Soraya parabenizou a mobilização, comentou da luta que tem feito em Brasília para a liberação das vagas e da importância do projeto do Instituto das Cidades, tanto para a Zona Leste quanto para o país, uma vez que esse é um tema dos que mais afeta a qualidade de vida da população brasileira. Soraya ainda afirmou que o Polo de Extensão está aberto para atividades de formação e culturais dos movimentos e coletivos da região e que o espaço é para ser utilizado pela coletividade.

Além do abaixo assinado a ser dirigido para Presidente e Ministros, será realizada mobilização por petição online e junto a parlamentares e debates públicos em defesa do Campus ZL. Também está sendo organizado uma grafitagem dos muros da universidade e o acompanhamento da instalação de iluminação. Padre Ticão convidou para próxima atividade de mobilização no Campus no dia 11 de março de 2017.

Pró-Reitorias

Unidades universitárias

Campi

Links de interesse