Quinta, 30 Janeiro 2020 14:30

Educação e meio ambiente em evidência

Com exceção das áreas temáticas de Comunicação e de Direitos Humanos e Justiça, o Campus Diadema apresenta projeto em todas as áreas no quadriênio 2015 - 2018

Entreteses076 diadema icaqf2

Fotografia: Alex Reipert

 

Classius Ferreira da Silva
Coordenador da Câmara de Extensão e Cultura (Caec) – Campus Diadema

As ações de extensão em Diadema têm aumentado nos últimos anos. No quadriênio de 2015 a 2018 foram cadastrados 38 projetos e 14 programas de extensão. Do total de projetos, aproximadamente 60% encontram-se vinculados à área temática da Educação, mas, se considerarmos também os programas de extensão, este número é ainda maior - cerca de 70%.

Com relação às áreas temáticas estabelecidas pelo Fórum de Pró-Reitores de Extensão (Forproex), o Campus Diadema se destaca na área de Educação, em decorrência das parcerias estabelecidas entre docentes do curso de Licenciatura em Ciência com instituições locais, como a firmada entre a Diretoria de Ensino de Diadema e a Secretaria Municipal de Diadema. Um desses exemplos é o programa Articul@ções, um conjunto articulado de projetos e ações de extensão, de caráter multidisciplinar (como cursinhos populares preparatórios para os vestibulares) e interdisciplinar (eventos de divulgação dos cursos superiores na rede pública).

A área de Meio Ambiente é outro foco de boa parte dos projetos (10,5%) e programas (21,4%) de extensão, confirmando a vocação ambiental do campus desde sua concepção e criação. Não menos importante, a área temática de Saúde ocupa a segunda posição no número de projetos (13,2%). Com exceção das áreas temáticas de Comunicação e de Direitos Humanos e Justiça, o Campus Diadema apresenta projeto em todas as áreas neste quadriênio.

Em 2019, o Campus Diadema iniciou a Universidade Aberta para as Pessoas Idosas (Uapi), que conta hoje com 50 matriculados. É um projeto muito jovem, mas com perspectivas de grande impacto na qualidade de vida dos idosos do município. O número de eventos de extensão também tem aumentado nos últimos anos, não somente pelos eventos científicos, como eventos voltados para comunidade local, como é o caso do Encontro dos Surdos com as Ciências (ESC) e do Diadema Visita Unifesp Diadema (Universidade de Portas Abertas).

Alguns projetos de extensão ultrapassam as fronteiras do município de Diadema, como o projeto Picinguaba, que realiza atividades de extensão voltadas para questões ambientais junto às comunidades tradicionais que ocupam o referido parque. Tais ações aumentam a percepção de inclusão social no ambiente. Quem não sabia da existência da Unifesp fica orgulhosa ao descobrir uma universidade federal em sua própria cidade; quem se beneficia das ações, por sua vez, se sente incluído. Esse é o desafio da extensão no Campus Diadema do momento: melhorar a visibilidade das ações de extensão pela comunidade regional e aumentar ainda mais as ações para áreas temáticas ainda não contempladas.

 

Campus Diadema • extensão em números:
33 programas e projetos de extensão
2 cursos de aperfeiçoamento e especialização
36 cursos de extensão e eventos
Dados de 2018
 
Publicado em Edição 12

Abertura acontecerá no dia 26/11, com a exibição de um documentário e mesa-redonda com o artista; inscrições até 22/11

Publicado em Eventos Arquivados

Resultado da colaboração entre a Unifesp e a Prefeitura de Diadema, ferramenta permite interação com a sociedade e busca cultivar a consciência ecológica no município

Entreteses11 p088 atlas ambiental

Entreteses11 p090 atlas ambiental

Texto: Valquíria Carnaúba

Diadema ocupa uma área de 30,73 km² na região do Grande ABCD, em São Paulo. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), seu território possui atualmente 420.934 habitantes; 97,4% dos domicílios dispõem de esgotamento sanitário adequado; 76,3% dos domicílios urbanos situam-se em vias públicas arborizadas; e em 42,3% deles as vias públicas são urbanizadas (com calçadas, pavimentação, meio-fio e escoadouro de águas pluviais). O bairro de Eldorado, pertencente ao município, é área de proteção de manancial e abriga dois braços da represa Billings, fundamental para o abastecimento de milhões de pessoas. 

Apesar de sua evidente importância ambiental, a cidade ainda esbarra na inexistência de um conjunto de dados e informações integradas, considerando os componentes do meio físico, biótico, socioambiental e econômico. Essas lacunas deverão ser supridas com o Atlas Ambiental de Diadema, um projeto que está sendo desenvolvido pelo Departamento de Ciências Ambientais do Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF/Unifesp) - Campus Diadema, em parceria com a Prefeitura Municipal de Diadema.

Coordenado por Ana Luisa Bitencourt, Cláudio Benedito Baptista Leite e João Alexandrino, o projeto envolve uma equipe múlti e interdisciplinar de docentes, técnicos administrativos e estudantes de diversos departamentos do ICAQF/Unifesp, além de técnicos da administração municipal. Seus idealizadores empenham-se na concretização da proposta com o intuito de possibilitar o acesso às informações e dados sobre o meio ambiente, orientar as atividades de gestão ambiental e contribuir com o Plano Diretor do município e o Sistema Nacional de Informação sobre Meio Ambiente, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

A construção do Atlas Ambiental de Diadema é norteada por um sistema de informações geográficas (SIG), composto por hardwares, softwares, informações espaciais e recursos humanos, permitindo a análise, gestão e representação do espaço e seus fenômenos. De acordo com Bitencourt, atualmente chefe do Departamento de Ciências Ambientais, a base de dados constitui-se de informações socioambientais e geográficas oriundas do IBGE e de pesquisa especialmente realizada pela prefeitura. Em sua criação, serão adotadas ferramentas como informações espaciais cruzadas, tabelas e geração de mapas, tudo com o apoio de programas computacionais – entre eles, ArcGIS, QGIS e Idrisi. 

A primeira etapa do projeto, que consistiu no levantamento de dados sobre o meio físico, biótico e socioambiental, foi apresentada durante o I Workshop Atlas Ambiental de Diadema, em novembro de 2018. Conforme relata Alexandrino, o fato marcou a intensificação do diálogo entre o campus e a prefeitura, responsável por abraçar a proposta desde o início. “Seu mecanismo pode tornar-se estratégico para a aplicação de um modelo de cidade inteligente em Diadema, já que facilita e promove o acesso a informações relativas ao meio ambiente, orientadas às atividades de gestão ambiental”, complementa.

Entreteses11 p091 ClaudioBenedito

Entreteses11 p091 AnaLuisa

Entreteses11 p091 JoaoAlexandrino

Para os coordenadores do projeto – Cláudio Benedito Baptista Leite, Ana Luisa Bitencourt e João Alexandrino (da esquerda para a direita) –, o Atlas Ambiental auxiliará no estabelecimento de relações com órgãos governamentais na busca do aprimoramento de políticas públicas

Consciência ambiental e inclusão social

Atualmente o IBGE define atlas de duas maneiras: o termo pode indicar tanto um conjunto de mapas ou cartas geográficas como um volume de dados sobre determinado assunto, sistematicamente organizados e que servem de referência para a construção de informações, de acordo com a necessidade do usuário. Um atlas ambiental baseia-se nisso, pois é um instrumento que reúne, por meio de figuras, tabelas e mapas, diferentes temáticas relacionadas ao meio ambiente local. Sua conclusão, prevista para 2021, nos formatos digital e impresso, mapeará recursos hídricos, solo, vegetação e ar da cidade, além de outros aspectos, tais como educação ambiental, saúde, arte e cultura.

Nesse trabalho, os pesquisadores visam ultrapassar as fronteiras acadêmicas e administrativas: o propósito é interagir com a sociedade local, de modo a reforçar o papel da universidade na produção e disseminação do conhecimento, a fim de integrar a visão sobre a complexa ocupação do espaço urbano e sua relação com os problemas ambientais. Para que se alcance essa meta, eles apontam medidas que poderiam ser adotadas como cursos de formação, capacitação e qualificação, bem como o desenvolvimento de ações articuladas com a comunidade, contemplando os saberes e práticas das populações locais. 

Seguindo a linha da educação ambiental crítica, pautada na transformação social, os autores realizarão um mapeamento que promova a igualdade de direitos e a qualidade de vida. Para eles, o documento é um importante instrumento de diálogo com órgãos e instituições governamentais na formulação de políticas públicas.

Elementos que compõem o projeto Atlas Ambiental de Diadema

O projeto estabelece que a decodificação dos dados ambientais exige uma compreensão de fenômenos espaciais e sociais, com vista a gerar informações geográficas que poderão ser utilizadas para diversas finalidades (em áreas como sociologia, saúde e economia). Os autores afirmam que, “para essa tarefa, torna-se essencial a adoção de um sistema de informações geográficas”, abreviado pela sigla SIG. Na elaboração do Atlas Ambiental de Diadema, optou-se por um modelo próprio de SIG, que opera com tecnologias voltadas à organização dos dados ambientais do município. 

  • Sistema de geoprocessamento - É o processamento informatizado de dados georreferenciados. Utiliza programas de computador que permitem a manipulação de informações cartográficas (mapas, cartas topográficas e plantas) e de informações às quais se podem associar coordenadas desses mapas, cartas ou plantas. Possui diversas aplicações, mencionando-se entre elas os sistemas de cartografia automatizada (CAC), de processamento de imagens e CAD (destinado a engenheiros e projetistas). 
  • Banco de dados espaciais - É utilizado para armazenamento de informações sobre o espaço geográfico. 
  • Mapas e cartografia - A confecção de um mapa requer um conjunto de informações, incluindo a seleção de características, classificações e agrupamentos, legendas, escalas, amplificação de determinados dados e simbologias para representar diferentes classes de elementos.
  • Dados geográficos - São dados georreferenciados em atributos qualitativos e quantitativos, relativos à localização, relacionamento topológico e tempo. 
  • Atributos quali e quantitativos - Referem-se às características das entidades mapeadas, podendo ser representados por dados alfanuméricos; possuem aspectos não gráficos e podem ser tratados por sistemas de gerenciamento de bancos de dados convencionais. 
  • Localização geográfica - Envolve geometria dos objetos, conceitos de métricas, sistemas de coordenadas e medidas de distância (lineares e angulares), entre outros itens. 
  • Identidade visual - Nesta etapa, serão utilizados diversos instrumentos de trabalho, envolvendo captura, análise e tratamento de imagem para representação visual, mediante o emprego de softwares gráficos como Illustrator e Photoshop.
  • Temáticas gerais - O projeto estrutura-se em cinco temáticas principais: meio físico (geologia, geomorfologia, solos, recursos hídricos, fauna, flora, biodiversidade e atmosfera); meio urbano (evolução do meio urbano, clima urbano/qualidade do ar, solos urbanos, áreas de risco, resíduos, fontes poluidoras, saneamento/tratamento); saúde e meio ambiente; educação, arte, cultura e etnologia (educação ambiental, arte, cultura e etnologia); gestão e políticas públicas (prognósticos atuais, perspectivas futuras e direito ambiental).

Labs da Unifesp integram programa multidisciplinar

A produção do Atlas Ambiental de Diadema, além de uma equipe ampla e qualificada, envolve dez laboratórios de pesquisa do ICAQF/Unifesp, no Campus Diadema, que abrangem múltiplas áreas. Tais laboratórios estão instalados nas unidades José de Filippi e José Alencar (Edifício de Pesquisas).

  • Laboratório de Paleoecologia e Ecologia da Paisagem
  • Laboratório de Ecofisiologia e Monitoramento Ambiental
  • Laboratório de Ecologia, Zoologia e Fisiologia Comparada
  • Laboratório de Processos Ambientais, Bioquímicos e Químicos
  • Laboratório de Genética Evolutiva
  • Laboratório de Engenharia e Controle Ambiental
  • Laboratório de Economia, Saúde e Poluição Ambiental
  • Laboratório de Clima e Poluição do Ar
  • Laboratório Multidisciplinar em Mineralogia, Águas e Solos
  • LabInSciences (Laboratory of Integrated Sciences)

Artigos e sites relacionados:

SILVA, Laiane Tamion da; ABE, Karina Camasmie; MIRAGLIA, Simone Georges El Khouri. Avaliação de impacto à saúde da poluição do ar no município de Diadema, Brasil. Revista Brasileira de Ciências Ambientais, Rio de Janeiro, n. 46, p. 117-129, dez. 2017. Disponível em: <https://www.yumpu.com/pt/document/fullscreen/59678406/edicao-46-rbciamb >. Acesso em: 9 abr. 2019.

ROMERO, Amanda Caetano; ISSII, Thais Martins; PEREIRA-SILVA, Erico Fernando Lopes; HARDT, Elisa. Effects of urban sprawl on forest conservation in a metropolitan water source. Revista Árvore: Brazilian Journal of Forest Science, Viçosa, MG, v. 42, n. 1, p. 1-11, 2018. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rarv/v42n1/0100-6762-rarv-42-01-e420114.pdf >. Acesso em: 9 abr. 2019.

FONSECA, Frederico; CÂMARA, Gilberto; DAVIS, Clodoveu. Bridging ontologies and conceptual schemas in geographic information integration. GeoInformatica, [s.l.], v. 7, n. 4, p. 355-378, dez. 2003. Disponível em: <https://link.springer.com/content/pdf/10.1023%2FA%3A1025573406389.pdf >. Acesso em: 9 abr. 2019.

DIADEMA (Estado de São Paulo). Prefeitura do Município de Diadema. Lei complementar nº 273, de 8 de julho de 2008. Dispõe sobre o Plano Diretor do município de Diadema, estabelecendo as diretrizes gerais da política municipal de desenvolvimento urbano, e dá outras providências. Disponível em: <https://leismunicipais.com.br/a/sp/d/diadema/lei-complementar/2008/27/273/lei-complementar-n-273-2008-dispoe-sobre-o-plano-diretor-do-municipio-de-diadema-estabelecendo-as-diretrizes-gerais-da-politica-municipal-de-desenvolvimento-urbano-e-da-outras-providencias >. Acesso em: 10 abr. 2019.

EMPRESA PAULISTA DE PLANEJAMENTO METROPOLITANO S.A. Atlas de uso e ocupação do solo do município de Diadema. São Paulo, SP, [entre 2004 e 2007]. Disponível em: <https://www.emplasa.sp.gov.br/Cms_Data/Sites/EmplasaDev/Files/Documentos/Cartografia/Atlas/RMSP/Atlas_Diadema.pdf >. Acesso em: 10 abr. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Subordinado ao Ministério da Economia. Provê informações sociodemográficas, geográficas e econômicas sobre o país. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br >. Acesso em: 2 fev. 2018.

 
Publicado em Edição 11

Importância do Campus Diadema pode se tornar central na reformulação do espaço urbano do município devido ao projeto Atlas Ambiental

Publicado em Notícias Arquivadas
Edifício de Acesso e Central de Utilidades devem ser concluídos em dois anos

Publicado em Boletins Arquivados

A avaliação, realizada pelo Guia do Estudante (Editora Abril), foi de quatro estrelas (muito bom) 

Publicado em Notícias Arquivadas