Quarta, 13 Fevereiro 2019 15:46

Unifesp recebe apoio da J&J para projeto de Centro Cultural em Saúde

A revitalização da Biblioteca do Campus São Paulo promoverá educação em saúde para futuros profissionais e comunidade

CentroCulturalSaudeUnifesp
Perspectiva do Centro Cultural em Saúde: obras iniciam ainda neste ano

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) anunciou na terça-feira, 12 de fevereiro, a formalização do apoio da Johnson & Johnson para a implantação do Centro Cultural em Saúde (CCS). O projeto transformará a Biblioteca Central do Campus São Paulo da universidade em um centro cultural aberto à população. O início das obras está previsto para o primeiro semestre deste ano.

A modernização do espaço será viabilizada via Lei Rouanet e permitirá abrigar novas atividades – permanentes e gratuitas – que atenderão à comunidade acadêmica da Unifesp, além dos usuários do complexo de saúde, escolas e cidadãos em geral, ampliando o acesso da população aos bens culturais, científicos e acervos produzidos pela instituição.

Compuseram a mesa do evento o presidente da Johnson & Johnson Medical Devices, Adriano Caldas, a reitora da Unifesp, Soraya Soubhi Smaili, a diretora da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp), Emilia Inoue Sato, a diretora do Campus São Paulo, Rosana Fiorini Puccini, a vice-diretora da Escola Paulista de Enfermagem (EPE/Unifesp), Maria Magda Balieiro, e o diretor-presidente da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo (FapUnifesp), Jair Ribeiro Chagas.

Chagas destacou a relevância do apoio ao projeto, aprovado anteriormente pelo Ministério da Cultura. “Nos aprofundamos nos mecanismos de captação pela Lei Rouanet, o que desencadeou em um esforço interno para a regulamentação de parcerias, de modo que os recursos sejam adquiridos da forma mais transparente possível. Desejamos que essa parceria com a J&J seja a primeira de muitas, e que possamos ampliar o conceito colocado aqui por Adriano, o de tornar a saúde brasileira autossustentável”.

foto 6
Além da Johnson e Johnson, doações (via Lei Rouanet) pela Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A e Fleury SA compõem hoje mais de 27% do valor total de captação necessário para a conclusão da obra

As diretoras do Campus São Paulo e da EPM, bem como a vice-diretora da EPE, foram unânimes ao afirmar que a benfeitoria coloca a Unifesp frente a frente com inúmeras possibilidades, como a concretização de parcerias para formação de recursos humanos, beneficiando não somente a comunidade acadêmica, mas todos que dependem de alguma forma da instituição. “Essa decisão nos traz esperança e a possibilidade de concretização do trabalho que temos desenvolvido. Trata-se de um passo muito importante para a modernização e revitalização de nossa biblioteca”, completou Rosana Puccini. Ela ressaltou ainda o trabalho de Douglas Rodrigues, docente que já coordenou o Projeto Xingu e hoje atua como chefe da Unidade de Saúde e Meio Ambiente (EPM/Unifesp), de Dante Marcello Gallian, diretor do centro de história e filosofia das ciências da saúde da Unifesp (EPM/Unifesp), e do pró-reitor de Planejamento Pedro Fiore Arantes, à frente da estruturação do projeto.

A reitora da Unifesp lembrou que o desafio começou há alguns anos, quando a instituição se deu conta que tinha um acervo histórico a ser preservado, motivo pelo qual a gestão se debruçou sobre a proposta do CCS. A decisão pela fonte de recursos para sua execução veio do entendimento de que se tratava de um projeto de cultura. “Temos diversos colaboradores e permanecemos com o desafio de conquistar outros, mas a J&J é a principal parceira no momento, um apoio valoroso que traz o peso de seu prestígio e história”, comemorou. Soraya destacou ainda que toda doação ao Centro Cultural em Saúde se torna automaticamente recurso público e, como tal, será submetido à prestação de contas pelos órgãos de controle.

foto 5
A reitora da Unifesp reforça: toda doação ao Centro Cultural em Saúde, enquanto recurso público, será submetido à prestação de contas pelos órgãos de controle

“Na Johnson & Johnson temos o compromisso de difundir a educação médica e elevar os padrões de cuidados com a saúde em todo o país, desde a formação profissional, por isso essa parceria com a Unifesp é muito bem-vinda”, afirmou Caldas. “Nos enche de orgulho poder contribuir com um projeto que servirá à comunidade ao disseminar informações importantes e que ajudará a produzir conhecimento científico capaz de transformar a trajetória da saúde para a humanidade”, complementou.

O Centro Cultural em Saúde contará com um moderno auditório para 110 pessoas, livraria universitária, área de convivência, exposição de acervo histórico, área de leitura livre e acesso a cerca de 1 milhão de fascículos de periódicos em saúde publicados desde 1853. A nova estrutura também garantirá conforto, acessibilidade e segurança aos usuários, com a reestruturação completa da edificação, coberturas, sistemas e redes elétrica, telefônica, lógica, hidráulica, banheiros e climatização.

A autorização para captação para revitalização é de R$ 12.025.624,48. Já foram doados 27,07% do valor total. A Unifesp também iniciou campanha para que empresas, comunidade Unifesp e sociedade possam participar com doações, de qualquer valor, nessa ação de preservação da memória da área de Saúde do Brasil. A captação dos recursos está sendo realizada por meio da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo (FapUnifesp).

foto 2 foto 3 foto 4
Adriano Caldas (Johnson & Johsnon), Jair Chagas (FapUnifesp) e Soraya Smaili (reitora da Unifesp) formalizam doação; com ela, Unifesp inicia campanha para que empresas, comunidade Unifesp e sociedade possam participar com doações

Fotos: Alex Reipert

 

Lido 975 vezes Última modificação em Segunda, 11 Março 2019 14:39

Mídia