Campus São Paulo aprova PDInfra que orientará seu crescimento nos próximos 20 anos

Plano Diretor de Infraestrutura foi desenvolvido durante três anos e inclui regularização de imóveis, sustentabilidade ambiental, reformas e obras

20191203 100941

Em sessão histórica e unificada das Congregações da Escola Paulista de Medicina (EPM), Escola Paulista de Enfermagem (EPE) e Conselho do Campus São Paulo, no dia 3 de dezembro, a qual contou com a presença da reitora da Unifesp, Soraya Smailli, foi aprovado o Plano Diretor de Infraestrutura (PDinfra) que orientará diversas ações de infraestrutura no campus, como manutenção predial, gestão de resíduos, eficiência energética, reformas de bombeiro e acessibilidade, até melhorias urbanísticas e novos empreendimentos que poderão ser desenvolvidas, também, em parceria com a iniciativa privada.

A Unifesp, por meio da Pró-Reitoria de Planejamento (ProPlan), já havia realizado os PDinfras dos campi Diadema e Baixada Santista, mas esse foi o mais amplo e desafiador, pelas características do Campus São Paulo, com 86 anos de existência, 120 mil m² de área construída e mais de 100 imóveis, além da atual conjuntura política e econômica que impõe fortes restrições orçamentárias ao setor público.

Por isso, os investimentos previstos, que devem alcançar uma média de R$ 40 milhões por anos nos próximos 25 anos, poderão ser compartilhados com a iniciativa privada, em oito diferentes empreendimentos de diferentes naturezas: três centros de ensino, pesquisa e assistência (Criança e Adolescente, Oncologia e Longevidade); um novo complexo de Pesquisa Clínica e Experimental; um novo Biotério e a reforma do Centro de Desenvolvimento de Modelos Experimentais para Biologia e Medicina (Cedeme); a ampliação e modernização completa do Edifício de Anfiteatros e do Teatro Marcos Lindenberg; um moderno edifício administrativo e de departamentos acadêmicos, incluindo um novo Restaurante Universitário; e moradias universitárias para atender mais de 300 estudantes e residentes.

As melhorias urbanísticas preveem alargamento de calçadas, nova sinalização para pedestres e veículos, iluminação com LED, enterramento de fiação, novas áreas verdes e de bem-estar, tornando o campus um lugar mais aprazível na cidade.

O plano foi coordenado pela ProPlan, Direção e Departamento de Infraestrutura do Campus São Paulo e pela Comissão do PDInfra do campus, integrada por docentes, técnico-administrativos e discentes da EPM e da EPE, e executado pela empresa MPS Engenharia.

Veja a apresentação no link.