Letícia Coelho Squeff nacionalidade brasileira

Universidade Federal de São Paulo

PRO-REITORIA DE EXTENSAO E CULTURA - PROEC

Programa de Pós-Graduação: História da Arte


63
7
Pular gráfico
De 2019 a 2023
Trabalhos publicados

Resumo

Leticia Squeff é professora associada do departamento de História da Arte da Universidade Federal de São Paulo ( UNIFESP- SP , Brasil). Bacharel e mestre em História, é doutora em Arquitetura pela Universidade de São Paulo (USP , Brasil). Fez pós-doutorado no Instituto de Artes da Unicamp (2010) e no Getty Research Institute de Los Angeles, como guest scholar (2014). Autora dos livros O Brasil nas letras de um pintor (Edusp, 2004), sobre o pintor e crítico de arte Araújo Porto Alegre (1806-1879 ) e Uma galeria para o Império (Editora da Unicamp, 2013 ), que reconstitui a história de uma das coleções de pintura que deram origem ao Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, além de diversos artigos sobre pintura brasileira e sul-americana, colecionismo e exposições de arte do final dos anos 19 e início dos anos do século 20. Em 2015, foi professora convidada no Kunsthistorisches Institut da Universidade de Zurique. Membro do Conselho de Orientação Artística da Pinacoteca do Estado (2014-2018) e do Comitê Brasileiro de História da Arte (desde 2009).

Fonte: Lattes CNPq

Nomes em citações bibliográficas

Squeff, Leticia;SQUEFF, LETICIA


Perfis na web


Tags mais usadas

Pular nuvens de palavras

Idiomas

Alemão

Compreende bem, Fala bem, Lê bem, Escreve razoavelmente

Inglês

Compreende bem, Fala bem, Lê bem, Escreve bem

Francês

Compreende razoavelmente, Fala razoavelmente, Lê bem, Escreve pouco

Espanhol

Compreende bem, Fala bem, Lê bem, Escreve razoavelmente


Formação

  • Doutorado em ARQUITETURA E URBANISMO

    Uma Galeria para o Império: a coleção Escola Brasileira (1879)

    História do Brasil Império

    História do Brasil

    Orientação: Ana Maria de Moraes Belluzzo

    Universidade de São Paulo

      Desde 2005

  • Mestrado em História Social

    O Brasil nas letras de um pintor: Manuel de Araújo Porto Alegre (1806-79)

    Orientação: Elias Thomé Saliba

    Universidade de São Paulo

    1995 a 2000

  • Graduação em história

    Universidade de São Paulo

    1989 a 1993

  • Produção


    2022


    • RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA TRANSFORMADORA: O LABORATÓRIO DO SELO PARA O CENTENÁRIO DE PAULO FREIRE NA ESCOLA DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS DA UNIFESP

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Betânia Libânio Dantas de Araújo; Célia Regina Batista Serrão; Letícia Coelho Squeff; Rosangela Dantas de Oliveira

      Fonte: PAULO FREIRE: 100 anos de práxis libertadora , p. 5

    • Academia de Belas Artes

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Dicionário da Independência do Brasil: história, memória e historiografia. , p. 32

    • Porto Alegre, Manoel José de Araújo

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Dicionário da Independência do Brasil: história, memória e historiografia , p. 757


    2021


    • Ciência e violência nas imagens do transporte do meteorito do Bendegó para o Rio de Janeiro (1887-1888)

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Revista de História da Arte e Arqueologia (Online) , v. 2 , p. 4


    2020


    • Imágenes del translado del meteorito 'do Bendegó' de Bahía a Río de Janeiro: fotografía, ciencia y exclusión (1887-1888))

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anuario TAREA - , v. 7 , p. 106

    • Das fronteiras entre arte colonial e arte acadêmica no Brasil: o caso da Alegoria de Nossa Senhora da Conceição, do pintor Manoel Dias (1764-1837)

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: As Fronteiras na História da Arte , p. 89

    • Preservação do Museu Florestal Octávio Vecchi em São Paulo

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff; Manoela Rossinetti Rufinoni; janes Jorge

      Fonte: Revista CartaCapital


    2019


    • Araújo Porto-Alegre e o elogio do barroco

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: REVISTA DE HISTÓRIA DA ARTE E ARQUEOLOGIA , v. 24 , p. 67

    • introdução: Visões da arte colonial no século XIX: crítica, exposições e escolas no Brasil, Chile, Colômbia e México

      Artigo publicado

      Autores: BAUMGARTEM, Jens; Letícia Coelho Squeff

      Fonte: REVISTA DE HISTÓRIA DA ARTE E ARQUEOLOGIA , v. 24 , p. 5


    2018


    • A representação da nação como enlace amoroso

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: XXXVIII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte - Arte & erotismo - caderno de resumos , p. 90

    • De Giotto aux indigènes civilisés : le primitif dans les horizons modernistes entre Italie, France et BrésilDe Giotto ao índio civilizado: o primitivo nos horizontes modernistas entre Itália, França e BrasilFrom Giotto to the Civilized Indian: The Primitive Man in the Modernist Horizons of Italy, France, and Brazil

      Artigo publicado

      Autores: Fernanda Marinho; Letícia Coelho Squeff

      Fonte: BRÉSIL(S) - SCIENCES HUMAINES ET SOCIALES , p. 1

    • Um maldito na Academia: Estevão Silva - algumas notas sobre os caminhos da modernidade no Rio de Janeiro de fins do século XIX

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: CULTURA E PODER ENTRE O IMPÉRIO E A REPÚBLICA: ESTUDOS SOBRE OS IMAGINÁRIOS BRASILEIROS (1822-1930) , p. 201

    • Retrato de Pedro I

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Coleções em diálogo: Museu Histórico Nacional e Pinacoteca de São Paulo , p. 93

    • Estudo para coroação de d. Pedro II

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Coleções em diálogo: Museu Histórico Nacional e Pinacoteca de São Paulo , p. 99


    2017


    • A Grand Tour de um brasileiro: a importância da Itália nas ideias de Manuel de Araújo Porto-Alegre

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: BOLETIM DO MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI. CIÊNCIAS HUMANAS , v. 12 , p. 377


    2016


    • . By Ana Lucia Araujo

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: JOURNAL OF SOCIAL HISTORY , v. 031 , p. shw031

    • Charles-Othon-Frédéric- Jean-Baptiste, Comte de Clarac, ?Fôret Vierge du Brésil?

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: .). Paisagem nas Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico. , p. 70

    • ORIGINALIDADE E MODERNIDADE NA ARTE LATINO - AMERICANA: A EXPOSIÇÃO DE ARTE LATINO AMERICANA [EXPOSITION D'ART AMÉRICAIN - LATIN] DE PARIS ( 1924)

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anais do LabeX


    2015


    • Charles-Othon-Frédéric- Jean-Baptiste, Comte de Clarac, Primeval Forest in Brazil

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Picturing the Americas: Landscape Painting from Tierra del Fuego to the Artic , p. 70

    • Sentimento do exílio e reinvenção do passado - A Negra (1923) de Tarsila do Amaral e Paisagem Zapatista (1915) de Diego Rivera

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Imagem e Exílio - cinema e arte na América Latina , p. 98

    • Charles-Othon-Frédéric- Jean-Baptiste, Conde de Clarac, Selva Virgen del Brasil, c.1819

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Paisaje en las Américas , p. 74

    • Estudo iconográfico do ateliê em Almeida Júnior

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff; Vivian Pereira Viana

      Fonte: IV Colóquio Nacional de Estudos sobre arte brasileira do século XIX , p. 29

    • A exposição de 1859: modos de exibição locais e a história da arte no século XIX

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Novos Mundos: fronteiras, inclusões, utopias/ New Worlds: frontiers, inclusions, utopias, , p. 81


    2014


    • A natureza-morta eloqüente de Agostinho José da Mota: belas artes e literatura no Segundo Reinado

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Teresa (USP) , v. 12-13 , p. 134

    • Araújo Porto-Alegre: singular e plural

      Livro publicado ou organizado

      Autores: Julia Kovensky; Letícia Coelho Squeff

    • As muitas faces de um artista do Império

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Araújo Porto-Alegre: singular e plural , p. 23


    2013


    • Exposições de arte no Brasil: modos de interpretação

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Arte e suas instituições: XXXIII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte - resumo de comunicações

    • Contatos entre artistas brasileiros e latino-americanos em PAris nos anos 1920

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Las redes del arte: intercambios, procesos y trayectos en la circulación de las imágenes , p. 187


    2012


    • Uma galeria para o Império: a Coleção Escola Brasileira e as origens do Museu Nacional de Belas Artes

      Livro publicado ou organizado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

    • A pinacoteca da Academia e a construção da história visual do Brasil

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: XXXII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte


    2011


    • In the heart of Picturesque Brazil: the tropical forest in Rugendas and Porto Alegre

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Portuguese Studies Review , v. 18 , p. 179

    • As exposições gerais da Academia de Belas Artes: teatro de corte e formação de um mercado de arte no Rio de Janeiro

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Arte & Ensaio (UFRJ) , v. 23 , p. 124


    2010


    • Paris sob o olho selvagem: Quelques Visages de Paris, de Vicente do Rego Monteiro

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: O selvagem e o civilizado nas artes, fotografia e literatura do Brasil , p. 57

    • A reforma Pedreira (1854-57) e seus desdobramentos: uma reavaliação

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: O ENSINO ARTÍSTICO, A HISTÓRIA DA ARTE E O MUSEU D. JOÃO VI , p. 82

    • D. Pedro I e sua índia: a representação da América no Império Brasileiro

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anais do XXX Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte,

    • Vicente do Rego Monteiro e as figurações do indígena

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anais do XXX Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte


    2009


    • Mário Pedrosa e a arte acadêmica brasileira

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anais do XXIX Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte , p. 313

    • Vanguardas

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Revista História Viva - Especial Idade Contemporânea de A a Z , p. 38

    • Mulheres de letras: da rainha devassa à menina bem-comportada

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: História Viva , p. 76

    • Nas barbas da realeza

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: História Viva , p. 78


    2008


    • Debret - Historiador e pintor (resenha)

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Revista de História (USP) , v. 159 , p. 259

    • Da arte incompleta à morte de um Insubmisso: Mocidade Morta (1899) de Gonzaga Duque

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Oitocentos. Arte Brasileira do Império à primeira República , p. 245

    • A escola brasileria em questão

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: XXVIII Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte , p. 56


    2007


    • Esquecida no fundo de um armário: a triste história da 'Coroação de d. Pedro II'

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anais do Museu Histórico Nacional , v. 39 , p. 105

    • José Bonifácio muito além da independência

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Desvendando a história , p. 26

    • Uma coleção da Academia: a Coleção Escola Brasileira

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anais do XXVI Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte , p. 365


    2006


    • Que Rei sou eu?

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Revista de História da Biblioteca Nacional , p. 33

    • A coleção Escola Brasileira (1879): estudo sobre uma coleção da Academia Imperial de Belas Artes

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: O Historiador e seu tempo - XVIII Encontro Regional de História , p. 140

    • Na mira da polícia. Documentos inéditos revelam o exílio dos irmãos Andrada na França

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Revista História Viva , p. 50


    2005


    • ?O belo dos trópicos? - entrevista a Revista Pesquisa

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff; Renata Saraiva

      Fonte: Revista Pesquisa- Ciência e Tecnologia no Brasil

    • Ícone Tropical

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Revista Nossa História


    2004


    • O Brasil nas Letras de Um Pintor: Manuel de Araújo Porto-alegre (1806-1879).

      Livro publicado ou organizado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

    • Revendo a Missão Francesa: a Missão Artística de 1816, de Afonso d´Escragnolle Taunay

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Atas do I Encontro de História da Arte do IFCH- Unicamp , p. 133

    • Um construtor de Utopias

      Textos em jornais de notícias/revistas

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Gazeta Mercantil , p. 3


    2003


    • Quando a história reinventa a arte: a Escola de Pintura Fluminense

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Rotunda (Campinas) , v. 1 , p. 19


    2000


    • A Reforma Pedreira na Academia de Belas Artes (1854-1857) e a constituição do espaço social do artista

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: CADERNOS CEDES (IMPRESSO) , v. 20 , p. 103

    • O urbano e o selvagem no pensamento de Araújo Porto Alegre (1806-1879)

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anais do I Colóquio Internacional de História da Arte


    1999


    • A arte, a técnica: a reforma da Academia Imperial de Belas Artes (1854-57)

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anais do XX Simpósio Nacional de História

    • Entre o urbano e o selvagem: a paisagem brasileira no pensamento de Araújo Porto Alegre

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Paisagem e Arte: a invenção da natureza, a evolução do olhar , p. 73


    1998


    • Entre a nação e a civilização: algumas reflexões sobre a idéia de arte em Araújo Porto Alegre

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Anais do Museu Histórico Nacional , v. 30 , p. 207


    1997


    • Manuel de Araújo Porto Alegre: nacionalismo e atividade literária no Segundo Reinado

      Trabalhos em eventos

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: XIX Simpósio NAcional de História da ANPUH , p. 96


    1994


    • O iluminismo no Rio da Prata

      Artigo publicado

      Autores: Arlene Clemesha; Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Revista Temporaes , v. 1 , p. 71


    1993


    • O surrealismo em Luís Buñuel

      Artigo publicado

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Fonte: Revista Temporais , v. 2 , n. 4

    Atuações

    Fundação Roberto Marinho

    • pesquisador e assistente de curadoria

      2001 a 2003

    Mameluco Produções Artísticas

    • pesquisadora sênior

      2005 a 2006

    • pesquisador

      2007 a 2010

    Universidade Estadual de Campinas

    • professor substituto

      2008 a 2008

    • Professor substiuto

      2008 a 2008

    • Professora participante

      2009 a 2010

    • pesquisador colaborador

      pesquisador colaborador

      2009 a 2010

    • ensino

      2009 a 2009

    Universidade Federal de São Paulo

    • Professor Associado

      Desde 2010

    Universidade de São Paulo

    • aluno de doutorado

      Outro (especifique) - doutoran

      2000 a 2006

    The Getty Center

    • guest scholar

      Guest Scholar

      2014 a 2014

    University of Zurich

    • Visiting Professor

      2015 a 2015

    ARS (SÃO PAULO)

    • Membro de corpo editorial

      Desde 2017

    ANAIS MUSEU MARIANO PROCÓPIO

    • Membro de corpo editorial

      2014 a 2016

    Consejo Nacional de Investigación Científica y Tecnológica (CONICET

    • Desde 2021

    Ensino

    Orientações e supervisões

    Tese de doutorado em andamento

    • NINA INGRID CAPUTO PASCHOAL

      APROPRIAR-SE DO EGITO: Orientalismo e Egiptomania nas artes do século XIX

      Doutorado em História da Arte

      Universidade Federal de São Paulo

      Desde 2022

    • Natália Ferreira de Almeida

      O Museu Florestal Octávio Vecchi no contexto internacional de Museus de História Natural

      Doutorado em História da Arte

      Universidade Federal de São Paulo

      Desde 2021

    Dissertação de mestrado em andamento

    • Débora Ellise de Almeida

      A GALERIA DOS ?IRMÃOS PROTETORES?: A PRIMEIRA COLEÇÃO DE RETRATOS DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO E A TRADIÇÃO COLONIAL

      História da Arte

      Universidade Federal de São Paulo

      Desde 2021

    Dissertação de mestrado concluídas

    • Denise Avelino Corrêa

      Alegoria da República ? O pano de boca da Sala de Espetáculos do Theatro da Paz em Belém do Pará (1887)

      História da Arte

      Universidade Federal de São Paulo

      Concluído em 2017

    • REnata Cristina Garcia

      Maternidade, de Eliseu Visconti: estudo da indumentária

      História da Arte

      Universidade Federal de São Paulo

      Concluído em 2020

    • Simone de Oliveira Souza

      IRMÃOS TIMOTHEO DA COSTA: ESTUDO DA COLEÇÃO DO MUSEU AFRO BRASIL

      História da Arte

      Universidade Federal de São Paulo

      Concluído em 2020

    • Marcelo André Ferreira Leite

      Arquitetura Moderna na Mantiqueira: Os experimentos de Oswaldo Bratke em Campos do Jordão nos anos 1940

      História da Arte

      Universidade Federal de São Paulo

      Concluído em 2018

    Gestão

    Universidade Federal de São Paulo

    • Coordenadora de Graduação do curso de História da Arte

      Campus Guarulhos

      Departamento de História da Arte

        Desde 2015

    • Comissão de Curso - membro suplente

      Campus Guarulhos

      Departamento de História da Arte

    • Coordenador de Cultura

      PRO REITORIA DE POS GRADUAÇÃO E PESQUISA

      Pró-Reitoria de Extensão e Cultura -UNIFESP

    • vice-coordenadora da Graduação em História a Arte- departamento de História da Arte

      Campus Guarulhos

      Departamento de História da Arte

        Desde 2021

    Pesquisa

    Universidade Estadual de Campinas

    Universidade Federal de São Paulo

    • Arte e Museus no Brasil e na América Latina: objetos, acervos e arquiteturas em exposição

      O grupo de estudos tem por objetivo investigar as possibilidades de leitura e de pesquisa tanto de objetos de arte quanto de acervos museológicos selecionados, voltados à cultura visual e à cultura material. Os acervos são entendidos como coleções que delineiam relações entre obras, artistas e respectivos contextos socioculturais, mas também entre as obras e os espaços expositivos que as contém. Assim, são objeto de estudo objetos individuais, acervos histórico-artísticos, os modos de exposição (display of art), como também as arquiteturas e contextos urbanos que os envolvem, abordados, eles mesmos, como objetos a ser indagados e interpretados. A partir dessa perspectiva de análises, pretende-se, ainda, abordar as relações entre acervos e obras brasileiros, com foco em São Paulo e Rio de Janeiro; e latino-americanos, particularmente Argentina, Uruguai, Chile e México. Dessa forma, além de expandir o universo de estudo museológico do acervo à arquitetura e ao espaço urbano; pretende-se fomentar um tipo de abordagem fundamental e ainda pouco praticada, tanto no âmbito da História da Arte como no da História da Cultura no Brasil: o de pensar as experiências, projetos e dilemas locais em contraste, não mais apenas com a Europa, mas também com outras nações americanas.

      Autores: Letícia Coelho Squeff, Manoela Rossinetti Rufinoni

      Desde 2013

    • New Art Histories: Relating Ideas, Objects and Institutions in the Latin American World - Parte 2: Global Baroque - Transcultural and Transhistorical Approaches to Latin America

      A segunda parte do projeto Novas Histórias da Arte: Relatando ideias, objetos e Instituições no Mundo Latinoamericano mantém como questão central os desafios para a pesquisa e o ensino de história da arte em um mundo global. O programa deste biênio inclui atividades acadêmicas e didáticas, confrontando e conectando dois contextos acadêmicos e historiográficos distintos. Ele baseia-se na experiência adquirida na Parte 1 do Projeto (2011-2013) e em seus dispositivos mais bem sucedidos: duas viagens de estudo de campo conjuntas, duas visitas conjuntas, quatro Professores Visitanes, e quatro Workshops. Essas atividades levarão estudantes e professores a se engajarem na exploração conjunta dos temas, a questionar cânones estéticos e hábitos intelectuais, e a cruzar as fronteiras da história da arte novamente

      Autores: Letícia Coelho Squeff, BAUMGARTEM, Jens, André Luiz Tavares Pereira, Tristan Weddigen, Cássio da Silva Fernandes, Angela Brandão, Yanet Aguilera Viruez Franklin de Matos

      2013 a 2017

    • Fontes para compreensão das idéias sobre arte no Brasil do século XIX: o caso de Araújo Porto-alegre (1806-79)

      O século XIX foi de grandes transformações na sociedade brasileira. Alçado de modo abrupto ao concerto das nações emancipadas, o país apresentava dilemas e impasses profundos. Engajadas num projeto de transformação sem precedentes até então, as camadas letradas se lançaram num amplo movimento de busca de valores e conceitos que, já experimentados na Europa, pudessem servir de modelos de ação. Neste contexto, a França surge como exemplo preferencial, tornando-se referência de movimentos artísticos e projetos políticos por todo o século XIX. Manuel de Araújo Porto-alegre (1806-79) foi um dos mais importantes pensadores sobre arte brasileiros do século XIX. Da primeira geração formada pelos artistas franceses que chegaram ao Brasil para fundar a Academia de Belas Artes, foi discípulo dileto de Jean-Baptiste Debret. Após uma temporada em Paris, lançou-se numa atuação diversificada, fortemente vinculada ao projeto de consolidar a Academia de Belas Artes, e seus valores, em terras brasileiras. Em artigos de jornal e em periódicos, lutou pela valorização do artista e pela afirmação do valor da arte enquanto instrumento de justificação do Estado Monárquico. Em sua luta pela consolidação da prática artística e de um campo de atuação para o artista, Porto-alegre fez amplo uso da crítica de arte. Este material é muito citado mas pouquíssimo conhecido na íntegra. O objetivo deste trabalho é delimitar algumas das matrizes ideológicas que fundamentaram o pensamento de Porto-alegre. Sendo ele figura que atuou como diretor da Academia de Belas Artes, como amigo e mestre de artistas, e também como autor de textos que tiveram funda repercussão nas idéias sobre arte posterior, este trabalho poderá contribuir para as pesquisas e reflexões sobre a arte brasileira do século XIX. Tendo como objeto as idéias de Araújo Porto Alegre, este projeto busca iluminar a circulação de conceitos, idéias e teorias sobre arte em meados do século XIX entre Europa e Brasil.

      2013 a 2014

    • Os Montparnos: modernistas brasileiros e vanguardas hispano-americanas em Paris (1921-1924)

      Entre 1921 e 1924 alguns dos mais importantes artistas do primeiro modernismo brasileiro fixaram-se em Paris, convivendo de perto com as vanguardas de diferentes países que usavam a cidade como laboratório de projetos e de divulgação de movimentos e artistas. O objetivo desta pesquisa é reconstituir que obras e artistas latino-americanos os modernistas brasileiros viram/tiveram acesso em sua passagem por Paris. A intenção é fazer um levantamento que permita apontar a circulação de obras e artistas, bem como a existência de demandas, valores plásticos e/ou projetos comuns a brasileiros e hispano-americanos. As fontes principais para a pesquisa serão a Revue de L?Amérique Latine (1922-1931) e o material a respeito da Exposition d?Art Américain-Latin (1924), entre outros documentos. Trata-se de um esforço no sentido de ampliar a compreensão das linhas de contato e relações de força do modernismo brasileiro, apontando para um aspecto ainda pouco estudado no âmbito das artes plásticas: suas relações as outras vanguardas latino-americanas.

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      2012 a 2013

    • História da Arte, Conservação e Restauro no Pavilhão da Criatividade Popular, Fundação Memorial da América Latina

      O Projeto de Extensão objetiva promover o desenvolvimento de pesquisas científicas e atividades de formação nas áreas de história da arte, museologia, conservação e restauro, a partir do estudo do acervo do Pavilhão da Criatividade Popular, no Memorial da América Latina. O projeto integra o acordo de cooperação técnica entre professores do Departamento de História da Arte da EFLCH-Unifesp e o Memorial. As pesquisas buscam aprofundar o conhecimento sobre o acervo, bem como viabilizar e aprimorar práticas de tratamento museológico; desde uma primeira aproximação de cunho conservativo, até projetos de curadoria e difusão cultural sobre arte e cultura latino-americanas.

      Autores: Letícia Coelho Squeff, Manoela Rossinetti Rufinoni, Yanet Aguilera Viruez Franklin de Matos

      2014 a 2016

    • A exposição de belas artes de 1859 no Rio de Janeiro: formas de emulação no século XIX brasileiro

      Este trabalho pretende analisar a exposição geral de belas artes, organizada na Academia Imperial de Belas Artes em 1859, tendo em vista a relação das artes locais com os diversos modelos artísticos e de exposições no período. Trata-se de analisar, em primeiro lugar, essa exposição no quadro mais amplo de outras exposições que acontecem no Rio de Janeiro nos anos 1850 e 1860 ? particularmente as exposições provinciais e estaduais, preparatórias para a participação do Brasil nas exposições universais. Em segundo lugar, também pretendo discutir como algumas obras apresentadas nessa exposição se relacionavam com modelos artísticos internacionais. Tanto o evento ? a exposição geral de 1859 ? quanto as obras apresentadas tinham como um de seus objetivos o de emular modelos internacionais. Ao discutir a exposição e algumas de suas obras, este trabalho insere-se no âmbito dos estudos das exposições e dos estudos culturais, procurando iluminar a circulação de modelos artísticos e os modos de apropriação e reinvenção inerentes à atividade artística do século XIX.

      Autores: Letícia Coelho Squeff, Manoela Rossinetti Rufinoni, Yanet Aguilera Viruez Franklin de Matos

      2015 a 2022

    • Artes e Patrimônio na América LAtina

      O grupo de pesquisa investiga as produções artísticas e culturais cultivadas e/ou associadas ao amplo território abarcado pela ideia de América Latina, entendido numa perspectiva não apenas geográfica, mas sobretudo sociocultural. As artes e o patrimônio cultural são aqui tomados numa perspectiva expandida, ou seja, trata-se de investigar os objetos comumente tratados pela Historiografia das Artes lado a lado às produções ditas ?não canônicas? ou ?não modelares? ? como os objetos artísticos e arquitetônicos vinculados à chamada ?cultura popular??, até então pouco explorados por esses mesmos estudos. Nesse sentido, são focos centrais de pesquisa tanto os artefatos e os patrimônios recentemente identificados como de interesse para preservação, como também os próprios processos de patrimonialização das produções culturais da América Latina, buscando compreender os objetos das Artes como produtos e vetores culturais híbridos e em movimento. As temáticas norteadas pelo Grupo de Pesquisa, portanto, perpassam a questão da valorização da arte e da arquitetura populares no campo da História da Arte e a própria discussão histórica sobre a construção da ideia de América Latina nesse contexto.

      Autores: Letícia Coelho Squeff, Manoela Rossinetti Rufinoni, Yanet Aguilera Viruez Franklin de Matos

      2015 a 2019

    • O Museu Florestal Octávio Vecchi: meio-ambiente, patrimônio, arte e ciência em São Paulo

      Este projeto pretende promover o desenvolvimento de pesquisas científicas e atividades de formação e extensão, nas áreas de história da arte, história ambiental e preservação do patrimônio cultural, a partir do estudo do acervo do Museu Florestal Octávio Vecchi. Trata-se de promover uma pesquisa interdisciplinar ? aliando pesquisas históricas a investigações no campo da história da arte e do patrimônio cultural ?, que culminará com uma proposta de remodelação do projeto expográfico do Museu Florestal Octávio Vecchi. Essa remodelação visa fortalecer o papel social do museu como espaço dedicado à reflexão ambiental e à sustentabilidade

      Autores: Letícia Coelho Squeff, Manoela Rossinetti Rufinoni, janes Jorge

      2019 a 2020

    • No fim do Império tinha uma pedra: ciência, política e território nas imagens do meteorito do Bendegó (1870-1889)

      Na noite do dia 2 de setembro de 2018, um incêndio atingiu o Museu Nacional do Rio de Janeiro, destruindo uma coleção de 20 milhões de objetos. Na manhã seguinte, durante as buscas, uma descoberta: uma peça, pelo menos, havia sido salva. O chamado meteorito do ?Bendegó?, um enorme bloco de ferro, resistira às chamas. A imagem do meteorito intacto em meio aos destroços circulou nos jornais de todo o mundo. Inspirado por essa foto, e por todo o contexto dramático para a história do país que elas ensejam, este projeto pretende recuperar as primeiras imagens do Bendegó, de modo a descortinar aspectos da cultura visual e da história do Império que talvez ainda sejam pouco conhecidos. Este projeto pretende mostrar que o meteorito do Bendegó fez parte do último esforço científico e cultural do Império. E foi, talvez, uma das mais bem sucedidas experiências de propagação da imagem no período. O álbum da expedição organizada para levar o meteorito para o Rio de Janeiro, e a divulgação da imagem do Bendegó na cena internacional ? que ocorreu de diversas formas, mas teve na exposição universal de Paris de 1889 um momento marcante ? eram, por um lado, parte de um mesmo todo que se articulava à tradição das expedições científicas do século XIX, e, por outro, a um projeto de construção de uma imagem civilizada e ?científica? para o Império brasileiro. Pintura e fotografia, representação do território e paisagem, arte e ciência ? esses foram alguns dos temas que as imagens do Bendegó tensionavam. É disso que este projeto irá tratar.

      2019 a 2022

    • HARPA - História da Arte, Arquitetura e Patrimônio no Brasil e nas Américas

      Este grupo de pesquisa visa o estudo da arte, da arquitetura e do patrimônio no Brasil e nas Américas do início do século XIX até a primeira metade do século XX. A formação dos artistas e arquitetos no Brasil, a presença de estrangeiros, a circulação, a transferência e a adaptação de modelos visuais e teóricos são elementos fundamentais para entendermos o desenvolvimento das artes e da arquitetura, além das questões relativas à noção de patrimônio, debatidas e difundidas neste período. Nos últimos anos, a historiografia vem destacando estas temáticas e contribuindo com um número cada vez maior de pesquisas. Este grupo visa dar continuidade a este debate, integrando os projetos já desenvolvidos e em andamento por cada pesquisador, unindo docentes e discentes na discussão, promoção e divulgação do conhecimento. Grupo de Pesquisa certificado pelo CNPq..

      Autores: Letícia Coelho Squeff, André Luiz Tavares Pereira, Manoela Rossinetti Rufinoni, Elaine Cristina Dias

      Desde 2018

    • Plantando dá: jardinagem, arte e convivência no campus Guarulhos

      No campus Guarulhos há dois processos que se combinam: de um lado, alunos que chegam à faculdade fragilizados por problemas econômicos e pela falta de apoio da família ou de profissionais que os ajudem a lidar com os impasses de se tornar adultos e profissionais na complexa e instável vida contemporânea. De outro, um campus cujos espaços de convivência e jardins ainda são poucos e mal adaptados às muitas necessidades de um público que vem de longe. O projeto ?Plantando dá? pretende criar espaços de convivência e bem-estar para os alunos, professores e funcionários do campus Guarulhos, através de atividades de jardinagem e de criação artística. O projeto pretende, além disso, contribuir para o embelezamento e limpeza das áreas verdes do campus, bem como despertar a comunidade para a consciência ambiental.

      Autores: Letícia Coelho Squeff, Patrícia Tavares Raffaini

      2019 a 2021

    • Oficina Sementes virtuais: jardinagem, artes manuais e rodas de conversa em tempos de pandemia

      A oficina promove encontros em que os participantes fazem atividades simples de jardinagem e trabalhos manuais enquanto conversam, num processo de trocas que pretende aliviar a solidão causada pelo isolamento social em que estamos. A série de oficinas se baseia na ideia de que as atividades manuais, quando realizadas com sentido, têm um potencial curativo, aliviando sintomas de depressão e ansiedade, que aumentaram bastante desde que o campus Guarulhos foi fechado. Por isso, durante as oficinas, são estimuladas conversas sobre assuntos variados, de modo a promover o contato humano e humanizado (possível), através do encontro virtual. Todas as pessoas do grupo podem propor e conduzir uma atividade. Uma das propostas da oficina é, justamente, estimular o protagonismo e o engajamento espontâneo dos participantes. As atividades manuais são variadas e estão abertas a propostas dos participantes.

      Autores: Letícia Coelho Squeff, Manoela Rossinetti Rufinoni

      2020 a 2021

    • Arte, institucionalidade e diversidade

      Esta pesquisa tem como objetivo discutir e analisar imagens, objetos e práticas artísticas modernas e contemporâneas a partir dos conceitos de institucionalidade, discurso e alteridade. Os processos (e as dificuldades) de inserção dos bens e práticas culturais nas instituições revelam hierarquias explícitas ou implícitas entre estilos, épocas, técnicas, autores, posições sociais e visões de mundo e, nesse sentido, permitem análises férteis acerca das relações entre as produções artístico-culturais e seus contextos de circulação e recepção. Os discursos e narrativas que se constroem em torno das obras de arte e das expressões culturais também são partes constitutivas de sua valorização e interpretação. Assim, pensar sobre produções e produtores artístico-culturais em relação às instituições que os acolhem (ou não), atravessados e constituídos pelas narrativas que sobre eles se constroem, permite uma compreensão filosófica, social e historicamente ancorada desses fenômenos. Por outro lado, quando se leva em conta que formas e expressões culturais fazem parte de processos de construções identitárias, e que as diferenças e desigualdades da sociedade nelas se refletem, mas também por elas podem ser subvertidas, fica claro que as ideias de identidade e alteridade são chaves analíticas interessantes no estudo da produção simbólica e material. Assim, na contramão das análises pautadas em uma suposta autonomia da obra de arte e em análises exclusivamente formais, aqui são propostas abordagens voltadas à contextualização histórica, social, cultural, étnica, institucional e discursiva das obras e de seus seus criadores. São valorizados também objetos não convencionais e sujeitos subalternizados, numa concepção ampliada e interdisciplinar de história da arte. Focaliza-se a dimensão pública e política das artes e formas expressivas em geral, sua imagética e suas indústrias, seja nas artes visuais e performáticas, na arquitetura, na fotografia, no grafite, no cinema ou nas novas mídias, bem como nas exposições e em outras formas de visibilidade e legitimação das artes e dos bens simbólicos. Em síntese, o projeto de pesquisa visa ao estudo das imagens, objetos, processos artísticos e cidades, a partir de seus contextos de produção, dos agenciamentos e hierarquizações que os constituem, das apropriações que deles se fazem e de seus modos de recepção, sempre enfatizando as interfaces entre a criação artística e os vetores extra-estéticos, bem como a riqueza das reflexões interdisciplinares. Diferentes referenciais históricos, geográficos e teóricos são contemplados, e pretende-se abranger memórias, saberes e dispositivos, tanto hegemônicos, como não-hegemônicos.

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      Desde 2020

    • Laboratório de criação: em busca de uma logomarca para os 100 anos de Paulo Freire na EFLCH

      Este curso pretende promover uma reflexão sobre o pensamento de Paulo Freire, bem como ser um laboratório para criação de propostas de uma logomarca para o evento Paulo Freire: 100 anos de práxis libertadora?. Durante o curso, cada participante deverá fazer até duas propostas para a logomarca do evento ?Paulo Freire: 100 anos de práxis libertadora.? O curso ocorrerá em 5 encontros, que culminarão com a entrega das logomarcas. Estas logomarcas serão submetidas a um júri externo, que deverá escolher a que será usada durante o evento. Eventualmente, as demais produções poderão ser usadas em outros materiais do evento, tais como cartazes de divulgação

      Autores: Letícia Coelho Squeff, Betânia Libânio Dantas de Araújo, Rosangela Dantas de Oliveira, Célia Regina Batista Serrão

      2020 a 2021

    • Cátedra Sustentabilidade e Visões de Futuro

      A Cátedra Sustentabilidade e Visões de Futuro é um Órgão Complementar da Unifesp que pretende, por intermédio da busca de colaboração acadêmica institucional, contribuir com o ensino e a pesquisa sobre essa temática no Brasil a partir da abordagem multidisciplinar. Constitui-se em uma rede de iniciativas institucionais que conta com a atuação de pesquisadores(as) dos diversos campi da Unifesp, os quais somam esforços para o estabelecimento de parcerias com os setores produtivo, órgãos públicos, organizações não governamentais e outras instituições de pesquisas nacionais e internacionais, de modo a obter recursos humanos e financeiros para a consecução de seus objetivos

      Autores: Letícia Coelho Squeff, janes Jorge, ZYSMAN NEIMAN, ANDRÉA RABINOVICI

      Desde 2020

    • Exposição Virtual Reflexos Pretos: PRESENÇA, RELIGIOSIDADE E IDENTIDADE?.

      A Coordenadoria de Cultura da PROEC apresenta ?Reflexos Pretos: PRESENÇA, RELIGIOSIDADE E IDENTIDADE?. Esta exposição virtual foi organizada pelos alunos da UC extensionista ?Laboratório de História da Arte III? em comemoração à Semana da Consciência Negra da UNIFESP - 2022. ?Durante séculos a cultura do povo preto no Brasil foi marginalizada e até criminalizada. Propomos um percurso através de diferentes territórios: temporais, geográficos e sociais, trazendo uma reflexão acerca das posições que os Corpos Pretos ocuparam, ocupam e que almejam ocupar.? Coordenada pelos professsores Jens Baumgarten e Leti Squeff (Departamento de história da arte ? EFLCH-Guarulhos), contou com apoio das alunas PAD, as doutorandas Cristiana Antunes Cavaterra, Nina Paschoal e Paola da Silva Pascoal. Alunas e Alunos: André Tomasi, Bianca A Sanches, Danilo Bernardi, Fernanda Gomes Trotti, Fernanda Lustosa, Gabriela Lima Lira, Giulia Baitz, Giulia Barbosa, Giulia Di Maio, Julia Doine, Layla Daniely, Letícia Medeiros, Luana Bento, Luísa Basile, Mateus Lima Gonçalves da Silva, Nathalia das Chagas, Nicholas Costa, Patricia Santos Ribas, Pietro Araujo, Rayan Fernandes da Silva, Roger Gaspar, Sofia Lisboa, Valmir Castro, Vanessa Domiciano, Vitória Oliveira e Zahira Ribeiro. Estagiárias do Programa de Aperfeiçoamento Didático (PAD) da Pós-graduação em História da Arte da UNIFESP: Doutorandas Cristiana Antunes Cavaterra, Nina Paschoal e Paola da Silva Pascoal. Unidade Curricular Laboratório de Pesquisa e Práticas em História da Arte III: Curadoria e Mediação

      Autores: Letícia Coelho Squeff, BAUMGARTEM, Jens

      2022 a 2022

    • Projeto BIG (Bolsa de Iniciação à Gestão) Biblioteca da Historia da Arte

      Este projeto pretende promover o trabalho conjunto de alunos do curso de História da Arte e funcionários da biblioteca da EFLCH de modo a fazer um levantamento dos livros guardados, bem como sua indexação e disponibilização na biblioteca da EFLCH. A importância e mesmo urgência da tarefa justifica-se por dois aspectos: 1) a visita do MEC, já marcada para outubro de 2014; 2) a chegada iminente de uma doação, vinda dos Estados Unidos, de cerca de 5 mil livros, feita pelo Getty Research Institute de Los Angeles ao departamento de História da Arte.

      Autores: Letícia Coelho Squeff, Marina Soler Jorge

      2014 a 2015

    Universidade de São Paulo

    • Uma galeria para o Império: a coleção de quadros nacionais formando a coleção brasileira (1879)

      A Exposição Geral de 1879 teve um enorme impacto na vida artística do Rio de Janeiro. Além de apresentar lado a lado os quadros de batalha de Pedro Américo e Vítor Meireles, a Exposição também reuniu parte do acervo da Academia Imperial de Belas Artes sob a denominação de ?Coleção de Quadros Nacionais formando a Escola Brasileira?. A ?Coleção Escola Brasileira? pode ser vista, em primeiro lugar, como um projeto da Academia Imperial de Belas Artes. Projeto que passava por reunir um grupo de obras associando-as a um duplo significado. O que dialogava com a arte e seus valores- a idéia de escola pictórica- por um lado, e o que comprometia a coleção com um qualificativo cheio de ressonâncias na história do Segundo Reinado: ?brasileira?. Tendo como objeto a coleção, o objetivo deste trabalho é desvendar o lugar que a Academia ocupava- ou queria ocupar- como órgão do Império.

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      2000 a 2006

    • Art Across the Americas: Professorship, Interdisciplinary Workshop, and Conference

      ?Art Across the Americas: Professorship, Interdisciplinary Workshop, and Conference,? co-organized by the Terra Foundation for American Art, the Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC USP), the Federal University of São Paulo (UNIFESP), the Institute of Philosophy and Humanities of the University of Campinas (IFCH ? UNICAMP), and the Pinacoteca do Estado de São Paulo. The program spans three years; each year includes a semester-long graduate student seminar, a workshop, and a conference that addresses one of the following major themes: Indigenous Art in the United States; African American Art; and Immigration and Art in the United States.

      Autores: Letícia Coelho Squeff, BAUMGARTEM, Jens, Ana Gonçalves Magalhães, Ilana Goldstein, Gabriel Ferreira Zacharias, patricia Dalcanale Meneses

      Desde 2019

    • O Brasil nas Letras de um pintor: Manoel de Araújo Porto Alegre (1808-79)

      Este trabalho pretende refletir sobre a idéia de nação no pensamento de Manuel de Araújo Porto Alegre (1806-1879). Como membro da chamada ?primeira geração romântica brasileira?, artista e literato profundamente engajado nas questões de seu tempo, Porto Alegre sempre colocou a nação como tema privilegiado de suas reflexões. O projeto de legitimar a nação recém constituída, e, subjacente a ele, o de justificar a monarquia; a busca de formas eminentemente ?brasileiras? de fazer literatura e arte concomitante à preocupação de construir uma nação culta e civilizada nos trópicos, são alguns dos aspectos considerados. Ao vincular arte e nação, o pensamento o autor opera uma curiosa combinação: se pretende constituir formas de expressão artística genuinamente ?brasileiras?, também reflete sobre os dilemas do Império segundo critérios estéticos. Nesse sentido, a arte constitui o ponto de vista privilegiado do autor sobre a ?brasilidade?.

      Autores: Letícia Coelho Squeff

      1995 a 2000

    The Getty Center

    Consejo Nacional de Investigación Científica y Tecnológica (CONICET

    Outras atividades técnico científicas

    Atualização Lattes em 2023-03

    Processado em 2023-03-10