Segunda, 10 Agosto 2020 09:58

Comissão Trabalho Seguro realiza testagem de covid-19 em servidores e colaboradores da Unifesp

Serão realizadas três etapas de testes entre os trabalhadores que estão atuando presencialmente no Campus São Paulo

Por José Luiz Guerra

Foi realizada, nos dias 5, 6 e 7 de agosto, a testagem sorológica de servidores e colaboradores do Campus São Paulo da Unifesp para avaliar a positividade de testes sorológicos para covid-19 (indivíduos com anticorpos específicos detectaveis por teste rápido) dentro dessa população. Realizado pela Comissão Trabalho Seguro, designada pela Reitoria no último dia 28 de julho, a ação tem por objetivo monitorar a taxa de expansão da doença, desenvolver estratégias de vigilância de infecções pela doença entre os servidores e dar suporte aos gestores e ao trabalho seguro na instituição.

Esta ação é fruto de um trabalho conjunto entre a Reitoria da Unifesp, a diretoria do Campus São Paulo e de suas unidades acadêmicas - Escola Paulista de Medicina (EPM) e Escola Paulista de Enfermagem (EPE), além do Hospital São Paulo, hospital universitário (HSP/HU Unifesp).

O presidente da Comissão e professor titular da disciplina de Infectologia da EPM/Unifesp, Arnaldo Colombo, explica que serão testados cerca de 600 servidores e colaboradores que atuam de forma presencial no Campus São Paulo, mas não diretamente no HSP/HU Unifesp, e que esse procedimento será realizado em três etapas, com intervalos de três semanas entre cada bateria de testes, o que possibilitará acompanhar o comportamento da transmissão do vírus em nossa comunidade. "Estão incluídos neste protocolo os servidores e os colaboradores terceirizados de ramos diversificados sem relação com a área da saúde", completa. É importante destacar que os trabalhadores que atuam nas dependências do hospital já foram testados, somando um montante de cerca de 4.500 testes.

Os resultados dos testes sorológicos terão grande importância para avaliarmos se as medidas de prevenção e controle estabelecidas no Campus São Paulo estão sendo eficazes ou se haverá necessidade de programarmos mudanças de estratégias e de medidas de intervenção em setores específicos que, porventura, tenham maior ocorrência de casos comparados ao restante da comunidade. "Para que esta ação tenha sucesso, é importante que todos os servidores indicados participem das coletas conforme comunicados específicos divulgados a cada momento, o que permitirá uma análise histórica da curva de ocorrência de casos em nossa comunidade", conclui Colombo.

 

Lido 910 vezes Última modificação em Quarta, 02 Setembro 2020 13:40

Mídia