Quarta, 06 Setembro 2017 20:36

Docente e estudantes da Unifesp participam de intercâmbio na Universidad de Salamanca

Viagem foi uma oportunidade de aprimorar conhecimentos em língua espanhola e conversar sobre parcerias institucionais

Por José Luiz Guerra

Um grupo formado por quatro estudantes e uma docente da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizou um intercâmbio na Universidad de Salamanca (USAL), na Espanha. Eles foram selecionados pelo Programa Top España Santander, que oferece anualmente 100 bolsas de estudos para um período de três semanas na instituição espanhola.

Participaram do intercâmbio a docente do curso de Relações Internacionais do Campus Osasco Ismara Izepe de Souza e os estudantes de graduação Catherine de Souza Bonesso (Letras/Campus Guarulhos), Diogo Dos Santos Silva (Letras/Campus Guarulhos), Mellyssa Almeida Nunes (Pedagogia/Campus Guarulhos) e Victória Rodrigues Tavares (Enfermagem/Campus São Paulo).

Ismara conta que os bolsistas participaram de dois cursos, sendo um obrigatório, o de Língua Espanhola, e outro de livre escolha. “Optei pelo curso de Historia de España. Ambos me proporcionaram a oportunidade de aprofundar meus conhecimentos nessa língua e de retomar aspectos essenciais da História desse país, com o qual tenho uma relação profunda por ter me dedicado aos estudos de sua realidade política e social no século XX, durante o mestrado e o doutorado”.

A docente acompanhou as atividades dos estudantes e elogiou a conduta de cada um. “Eles aproveitaram o curso e as atividades extra-curriculares com muito empenho e dedicação. Das vezes que nos encontramos, pude perceber o quanto essa oportunidade contribuiu para a formação global desses jovens”.

A viagem serviu também como uma oportunidade para a docente realizar contatos institucionais com a USAL. Após reuniões prévias com a Secretaria de Relações Internacionais e com a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unifesp, Ismara foi recebida, durante sua estadia em Salamanca, pelos responsáveis das áreas de Internacionalização, Atenção ao Estudante e Extensão Universitária da instituição.

Também houve reunião com o diretor do Centro de Estudos Brasileiros da USAL, Ignacio Berdugo Gomez de la Torre, quando, na oportunidade, foi discutida a possibilidade de vinculação dos projetos e pesquisas nas áreas de Humanas desenvolvidos nos campi Guarulhos e Osasco às atividades do centro.

Relato dos estudantes

Victoria Rodrigues Tavares agradeceu pela oportunidade de participar do programa e de representar a Unifesp. “Como estudante de enfermagem, a experiência adquirida foi enriquecedora. Compreender a cultura e idioma de outros povos permite não apenas o aprimoramento da comunicação com os indivíduos, usuários do sistema de saúde, mas também uma melhor compreensão da singularidade destes, inseridos em coletividades distintas e que, por sua vez, atribuem distintos significados sociais aos fenômenos vividos, como o processo saúde-doença, por exemplo”.

Mellyssa Almeida Nunes celebrou a oportunidade de poder fazer um curso oficial de língua espanhola, idioma pelo qual se disse apaixonada. A experiência também a ajudou a compreender as dificuldades de se aprender o idioma nativo, questão com a qual lida constantemente durante sua participação no projeto de extensão Memorial Digital do Refugiado (MemoRef). “Ensino português a crianças latinas refugiadas que participam do MemoRef. Presenciei várias vezes as dificuldades das crianças ao aprender o novo idioma e ao mesmo tempo o empenho em compreender a cultura do nosso país, com tantas peculiaridades, e de repente me vi nessa situação na 'España', onde cada dia era uma nova surpresa. Aprendi que a língua não é somente um adicional ao currículo lattes, mas um importante instrumento de integração social”.

Já Diogo dos Santos Silva classificou o intercâmbio como fundamental para sua formação, uma vez que cursa Letras, com habilitação em Espanhol. “A oportunidade de conhecer uma nova cultura, um novo povo, uma nova cidade, um novo país é um sonho… Esta bolsa foi fundamental para minha formação, pois pude não só aprimorar o meu desempenho linguístico na língua, mas também aproximar-me da realidade sociocultural e histórica do berço da língua que escolhi para ensinar”.

Reitor da Universidad de Salamanca recebendo os participantes do programa Top España Santander (Créditos: Ismara Izepe de Souza/Arquivo pessoal)
Reitor da Universidad de Salamanca recebendo os participantes do programa Top España Santander (Créditos: Ismara Izepe de Souza/Arquivo pessoal)

Grupo da Unifesp que participou do intercâmbio (Créditos: Ismara Izepe de Souza/Arquivo pessoal)
Grupo da Unifesp que participou do intercâmbio (Créditos: Ismara Izepe de Souza/Arquivo pessoal)

 

Lido 1041 vezes Última modificação em Terça, 19 Setembro 2017 19:45

Mídia

Pró-Reitorias

Unidades universitárias

Campi

Links de interesse