Quarta, 11 Agosto 2021 16:48

Pesquisadores do IMar/Unifesp desenvolverão novos modelos de saneamento básico

Em conjunto com a Prefeitura de Guarujá, pesquisadores procuram opções que ampliem o acesso de comunidades carentes à recursos hídricos

 

Por Juliana Cristina

Parceria entre o IMar/Unifesp e a Prefeitura de Guarujá buscará opções que ampliem o acesso de comunidades carentes à recursos hídricos.  Da esquerda, para a direita: Sidnei Aranha, secretário do Meio Ambiente do Guarujá e Caio Fontana, coordenador do projeto (Foto: Arquivo pessoal)
Parceria entre o IMar/Unifesp e a Prefeitura de Guarujá buscará opções que ampliem o acesso de comunidades carentes à recursos hídricos. 
Da esquerda, para a direita: Sidnei Aranha, secretário do Meio Ambiente do Guarujá e Caio Fontana, coordenador do projeto (Foto: Arquivo pessoal)


Pesquisadores do Instituto do Mar da Universidade Federal de São Paulo (IMar/Unifesp) - Campus Baixada Santista, em parceria com a Prefeitura do Guarujá, estão trabalhando em conjunto com o propósito de desenvolver novas alternativas de saneamento básico para o município. Os trabalhos visam produzir modelos que auxiliem no tratamento e abastecimento hídrico, de maneira sustentável e integrada, especialmente para comunidades carentes do Guarujá, as quais não estão recebendo esses recursos de maneira adequada via rede usual. Além disso, os estudos também têm intenção de auxiliar no fornecimento de água em períodos de estiagem e altas temporadas (verão).

Atualmente os modelos em estudo, desenvolvidos como complemento ao Plano Municipal de Saneamento Básico da Prefeitura, apresentam duas propostas de ação - ambas estruturadas por meio da determinação do volume de resíduos sólidos, caracterização das comunidades e tecnologias de esgotamento sanitário adequadas a essas para geração de biogás, e realização de análise econômica, jurídica, ambiental e social -, a primeira ação, já aprovada, se trata de um Sistema de Esgotamento Sanitário Individual, pelo qual é esperado gerar uma proposta de tecnologia para tratamento de esgoto individual, além de avaliar a capacidade de geração de gás de cozinha. A segunda ação proposta, por sua vez, se trata de um Sistema de Tratamento e Distribuição de Água Potável com objetivo de gerar um plano de gerenciamento de recursos hídricos e uma proposta de captação, tratamento e distribuição de água potável para as comunidades carentes. Além disso, é esperado que se consiga avaliar a disponibilidade desses hídricos de maneira que possa atender às demandas. Ambas as ações visam, principalmente, a melhoria da qualidade de vida da população.

No mais, pensando em períodos de estiagem e alta temporada, o estudo analisará a possibilidade de dispor de nascentes e efluentes de rios próximos, e de reaproveitamento de água de rebaixamento do nível freático em edificações, considerando também a alternativa de estabelecer unidades de reserva de água perto das áreas de captação.

Caio Fontana, docente do Departamento de Ciências do Mar e coordenador do projeto, comenta: “este projeto de pesquisa visa definir um novo modelo de Gestão de Recursos Hídricos de forma que a universalização dos serviços seja feita de forma sustentável tanto no aspecto ambiental quanto econômico”.

Para execução das ações será instalada uma “planta experimental simplificada” com intuito de analisar os modelos alternativos propostos e avaliar a viabilidade desses. É esperado que os resultados preliminares do estudo sejam apresentados em aproximadamente seis meses.

Lido 674 vezes Última modificação em Sexta, 03 Setembro 2021 09:46

Mídia