Segunda, 25 Outubro 2021 16:55

Criado Grupo de Trabalho de Computação Científica e de Alto Desempenho

Sistemas computacionais adquiridos para pesquisas da universidade requerem infraestrutura apropriada

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (ProPGPq) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) criou o Grupo de Trabalho de Computação Científica e de Alto Desempenho (GT-CAD). A instância contará com representantes dos campi São Paulo, Osasco, Baixada Santista, Diadema, Guarulhos e São José dos Campos, da Superintendência de Tecnologia da Informação (STI) e da Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan), e está sendo coordenado por Elbert Einstein Nehrer Macau, coordenador de Pesquisa da ProPGPq.

De acordo com o coordenador, um sistema computacional pode ser utilizado para armazenar e processar documentos e informações, implementar sistemas administrativos e integrar a comunidade por meio da comunicação. "A isso denominamos Sistemas de Tecnologia da Informação (TI)".

Mas os computadores originariamente surgiram frente à necessidade de resolução de problemas científicos e tecnológicos e são a principal ferramenta para implementação de modelos computacionais que permitem entender e predizer o comportamento de sistemas naturais e desenvolver sistemas tecnológicos, conforme explica o docente.

Dá-se então o nome de Computação Científica e de Alto Desempenho às infraestruturas, serviços e recursos computacionais que oferecem performance e arquitetura apropriadas à implementação de modelos computacionais de sistemas naturais e tecnológicos, além de permitir que os resultados obtidos sejam analisados e entendidos.

Computação Científica e de Alto Desempenho
Modelo de data center de computação científica. Imagem: arquivo pessoal.

"Para cumprir essas funções, são empregados sistemas computacionais que permitem a implementação paralela de programas e dispõem de recursos específicos para a resolução numérica de problemas e análise, visualização e interpretação de resultados”, complementa.

Esses sistemas computacionais podem estar disponíveis de duas formas: em máquinas físicas (computadores interligados), que são adquiridas com verbas de projetos e instalados em ambientes apropriados; e em máquinas virtuais, disponibilizadas por provedores de serviços e acessadas remotamente, ao que se chama computação em nuvem. Quer seja em uma forma ou em outra, existem aspectos operacionais críticos que precisam ser considerados de forma adequada pelas instituições que os utilizam.

Assim, "cada sistema adquirido requer infraestrutura apropriada, que envolve suporte técnico, disponibilidade de energia elétrica ininterrupta, condições adequadas de temperatura, segurança de acesso, redes de interligação de computadores que suportam velocidades extremamente elevadas de comunicação, enquanto a solução em nuvem requer o devido suporte estratégico para quando os recursos financeiros associados ao projeto sofrerem solução de continuidade. Existem modelos computacionais que demandam dias ou meses de processamento para ser concluído, o que impõe condições rígidas de infraestrutura", afirma o coordenador do GT-CAD.

O GT-CAD vem para propor um enfoque institucional da Unifesp adequado e integrado, visando prover a infraestrutura e os recursos apropriados para as necessidades de computação científica e de alto desempenho.

“Temos um prazo de seis meses para fornecer as melhores soluções institucionais para suportar a computação científica seja em sistemas físicos, instalados em um centro apropriado de computação, seja em ambiente de computação em nuvem", finaliza.

Lido 482 vezes Última modificação em Quinta, 04 Novembro 2021 16:06

Mídia