×

Aviso

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 569
Segunda, 24 Janeiro 2022 09:43

Projeto de extensão da EFLCH/Unifesp proporciona atividades lúdicas aos(às) filhos(as) da população carcerária

Ciranda na Prisão promove o direito à infância por meio de atividades lúdicas em dias de visita

Por Paula Garcia

PORTAL CirandaPrisao2
Foto ilustrativa: br.freepik.com

Unindo conhecimentos em direitos humanos e direitos da infância, o Departamento de Educação da EFLCH/Unifesp, Campus Guarulhos, apresenta o seu projeto Ciranda na Prisão, que visa ampliar e articular direitos civis, sociais e culturais, por meio de atividades lúdicas com crianças filhas da população carcerária, na unidade prisional José Parada Neto.

“Ao propor a ampliação da atuação da universidade no espaço prisional, busca-se contribuir com a superação do preconceito e discriminações em relação à população carcerária e seus familiares, especialmente seus filhos(as), socialmente construídas com base na invisibilidade e produção da insensibilidade”, afirma a docente Celia Regina Batista Serrão, coordenadora do projeto.

Serão desenvolvidos jogos, brincadeiras e atividades artísticas junto às crianças, com ênfase na construção de relações sociais afetivas, possibilitando que o momento de espera seja ressignificado com a constituição de um ambiente lúdico e humanizado, voltado diretamente aos filhos e filhas de pais privados de liberdade, e estendido as mães, avós, tias e demais responsáveis pelo acompanhamento destas crianças durante a visita. Indiretamente os próprios pais visitados também poderão ser beneficiados com as ações, assim como os funcionários da penitenciária.

Dentro da universidade as ações buscam o envolvimento de estudantes dos diferentes cursos da EFLCH/Unifesp. “Tal exercício oferecerá referências para que, como professores(as) da Educação Básica, possam receber seus futuros alunos numa condição de maior disponibilidade para lidar e apoiar, sobretudo, aqueles em situação de vulnerabilidade”, explica a docente Mariângela Graciano, vice coordenadora do Ciranda e referência na área de educação e sistema prisional.

O trabalho conta com o apoio do Núcleo Especializado da Infância e Juventude da Defensoria Pública do Estado de São Paulo e da rede Promotoras Legais Populares - Pimentas (PLP), e compõe mais uma linha de atuação do Laboratório de Brinquedos e materiais para a Educação Infantil (LABEI/Brinquedoteca), vinculada ao Departamento de Educação da Unifesp.

As atividades do projeto Ciranda na Prisão estão previstas para começarem no início do primeiro semestre letivo de 2022, assim que as visitas forem liberadas por completo e as ações presenciais de extensão possam ser realizadas com segurança.

Lido 747 vezes Última modificação em Segunda, 31 Janeiro 2022 10:19

Mídia