Breno Andrade Zuppolini nacionalidade brasileira

Universidade Federal de São Paulo

Escola de Filosofia

Programa de Pós-Graduação: Filosofia

E-Mail: breno.zuppolini@unifesp.br


20
5
Pular gráfico
De 2015 a 2024
Trabalhos publicados
Participações em projetos

Resumo

Professor Adjunto e membro do Núcelo de Estudos Clássicos (NEC) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP); Professor e Pesquisador Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP); Doutor, Mestre e Bacharel em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com estágios de pesquisa na Universidade de Oxford. Dedica-se ao estudo da filosofia grega clássica, mais notadamente Platão e Aristóteles, atuando principalmente sobre os temas: metafísica, filosofia da ciência, epistemologia, explicação, definição e essencialismo. Lidera o grupo de pesquisa Linguagem e Argumentação em Aristóteles (dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1768962697262151).

Fonte: Lattes CNPq

Nomes em citações bibliográficas

ZUPPOLINI, B. A.;ZUPPOLINI, BRENO ANDRADE;ZUPPOLINI, BRENO;ZUPPOLINI, B.


Exportar dados

Exportar produção no formato BIBTEX


Perfis na web


Tags mais usadas

Pular nuvens de palavras

Idiomas

Inglês

Compreende bem, Fala bem, Lê bem, Escreve bem

Francês

Compreende bem, Fala bem, Lê bem, Escreve razoavelmente

Grego

Compreende nao_informado, Fala nao_informado, Lê bem, Escreve nao_informado

Espanhol

Compreende bem, Fala razoavelmente, Lê bem, Escreve razoavelmente

Latim

Compreende nao_informado, Fala nao_informado, Lê razoavelmente, Escreve nao_informado

Italiano

Compreende bem, Fala pouco, Lê bem, Escreve pouco


Formação

  • Doutorado em Filosofia

    Ontological Underpinnings of Aristotle's Philosophy of Science

    Orientação: Lucas Angioni

    Universidade Estadual de Campinas

      Desde 2017

  • Mestrado em Filosofia

    Aspectos Formais e Ontológicos da Filosofia da Ciência de Aristóteles

    História da Filosofia

    Orientação: Lucas Angioni

    Universidade Estadual de Campinas

    2012 a 2014

  • Graduação em Filosofia

    A necessidade do conhecimento científico: um estudo sobre os Segundos Analíticos de Aristóteles

    Orientação: Lucas Angioni

    Universidade Estadual de Campinas

    2008 a 2011

  • Produção


    2024


    • First Principles - Aristotle (NO PRELO) (2024)

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Fonte: The Blackwell Companion to Epistemology , p. 00

    • Knowing that/Knowing why - Aristotle (NO PRELO) (2024)

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Fonte: The Blackwell Companion to Epistemology , p. 00


    2023


    • Some remarks against non-epistemic accounts of immediate premises in Aristotle?s Posterior Analytics (2023)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: REVISTA DE FILOSOFIA ANTIGA , v. 17 , p. 29

    • Aristotle on Multiple Demonstration (2023)

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Bronstein, David; Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: New Essays on Aristotle¿s Organon , p. 158


    2022


    • Aristotle?s Empiricism (2022)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: The Philosophical Review , v. 131 , p. 499


    2021


    • Immediacy in Aristotle?s Epistemology (2021)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: Phronesis: A journal for Ancient Philosophy , v. 66 , p. 111


    2020


    • Comprehension, Demonstration, and Accuracy in Aristotle (2020)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: Journal of the History of Philosophy , v. 58 , p. 29


    2019


    • Beber ou não beber? Qual é a questão? Duas leituras de República IV, 439c2-d8 (2019)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Fonte: REVISTA DISSERTATIO DE FILOSOFIA , v. 49 , p. 45

    • AVOIDING INFINITE REGRESS: POSTERIOR ANALYTICS I 22 (2019)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: MANUSCRITO , v. 42 , p. 122


    2018


    • Aristotle on Per se Accidents (2018)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: Ancient Philosophy , v. 38 , p. 113

    • Explanation and essence in Posterior Analytics II 16-17 (2018)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: REVISTA ARCHAI: REVISTA DE ESTUDOS SOBRE AS ORIGENS DO PENSAMENTO OCIDENTAL , v. 24 , p. 229


    2017


    • Aristotle?s Foundationalism (2017)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: REVISTA DISSERTATIO DE FILOSOFIA , v. 44 , p. 187

    • Book review: David Bronstein, Aristotle on Knowledge and Learning: The Posterior Analytics. Oxford: Oxford University Press, 2016. (pp.xiii-272). (2017)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: MANUSCRITO (UNICAMP) , v. 40 , p. 179


    2015


    • FORMA LÓGICA DAS PROPOSIÇÕES CIENTÍFICAS E ONTOLOGIA DA PREDICAÇÃO: UM FALSO DILEMA NOS SEGUNDOS ANALÍTICOS DE ARISTÓTELES (2015)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: Philosóphos , v. 19 , p. 11

    • COPRESENÇA DE OPOSTOS EM REPÚBLICA V, 478E-480A (2015)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Conteúdo completo

      Fonte: Manuscrito , v. 38 , p. 81

    • Acerca dos concomitantes per se em Aristóteles (2015)

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Fonte: Filosofia Grega e Helenística - Coleção XVI Encontro ANPOF , p. 124


    2014


    • Fundacionalismo e Silogística (2014)

      Capítulo de livro publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Fonte: Lógica e Ciência em Aristóteles , p. 161


    2013


    • Forma Lógica das Proposições Científicas e Ontologia da Predicação (2013)

      Trabalhos em eventos

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Fonte: XI Semana Acadêmica do PPG em Filosofia da PUCRS


    2012


    • Causalidade e Silogística em Segundos Analíticos II 16-17 (2012)

      Trabalhos em eventos

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Fonte: Anais de Resumos do XV Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF , p. 105


    2011


    • Essencialismo e necessidade modal em Aristóteles: uma análise de Segundos Analíticos I 6 (2011)

      Artigo publicado

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Fonte: FILOGÊNESE (MARÍLIA) , v. 4 , p. 21

    Atuações

    Universidade Estadual de Campinas

    • Aluno Pós-Graduação/Doutorado

      Bolsista FAPESP

      2012 a 2017

    • Programa de Estágio Docente (C)

      Bolsista

      2015 a 2015

    • Programa de Estágio Docente (B)

      Bolsista

      2016 a 2016

    • Programa de Estágio Docente (C)

      Bolsista

      2017 a 2017

    • Pesquisador Colaborador

      Pesquisador Colaborador

      Desde 2018

    • Professor Colaborador

      Professor Colaborador

      Desde 2020

    University of Oxford

    • Postgraduate Visiting Student

      Bolsista

      2013 a 2013

    • Recognised Student

      Bolsista

      2016 a 2016

    Pólemos

    • Revisor de periódico

      2015 a 2015

    Manuscrito (UNICAMP)

    • Revisor de periódico

      2016 a 2020

    Universidade Federal do Rio Grande do Sul

    • Pós-doutorado

      Bolsista

      2018 a 2018

    Universidade Federal de São Paulo

    • Professor Adjunto

      Desde 2018

    • Coordenador de Graduação (Filosofia)

      2021 a 2023

    Cadernos de Tradução LELPraT

    • Membro de corpo editorial

      Desde 2020

    British Journal for the History of Philosophy

    • Revisor de periódico

      2020 a 2020

    IPSEITAS

    • Revisor de periódico

      2020 a 2020

    PRINCIPIOS

    • Revisor de periódico

      2020 a 2020

    Ancient Philosophy (ISSN 2154-4689)

    • Revisor de periódico

      2019 a 2019

    Philosophers' Imprint

    • Revisor de periódico

      2021 a 2021

    Apeiron

    • Revisor de periódico

      2022 a 2022

    Journal of Ancient Philosophy

    • Revisor de periódico

      2023 a 2023

    REVISTA ARCHAI: REVISTA DE ESTUDOS SOBRE AS ORIGENS DO PENSAMENTO OCIDENTAL

    • Revisor de periódico

      2021 a 2022

    Ensino

    Orientações e supervisões

    Tese de doutorado em andamento

    Dissertação de mestrado em andamento

    • Nickolas Iago Julio

      Substância, Forma e Universal na Metafísica de Aristóteles

      Filosofia

      Universidade Estadual de Campinas

      Desde 2023

    • Rodrigo Borsatti Cardoso

      Acaso e Teleologia na Filosofia da Natureza de Aristóteles

      Mestrado em Filosofia

      Universidade Estadual de Campinas

      Desde 2020

    Dissertação de mestrado concluídas

    Gestão

    Pesquisa

    Universidade Estadual de Campinas

    • Explicação, Definição e Homonímia em Aristóteles

      Projeto de Pesquisa para atuação como Pesquisador Colaborador do PPG em Filosofia da Unicamp. Neste projeto de pesquisa, pretendemos estudar o requisito, formulado por Aristóteles nos Segundos Analíticos, de acordo com o qual cada explanandum científico (termo maior em uma demonstração silogística) admite apenas um explanans apropriado (termo médio correspondente). Ocorre, no entanto, que este requisito parece ser atendido apenas por demonstrações ?universais primeiras?. Se é assim, vários explananda que gostaríamos de aceitar como autenticamente científicos estariam excluídos do escopo de uma ciência aristotélica. Aristóteles procura evitar uma restrição excessiva do domínio da ciência do seguinte modo: atributos que parecem admitir mais de uma explicação científica são casos de um tipo específico de homonímia. Porém, como os termos que Aristóteles entende serem casos deste tipo de homonímia não são expressões ambíguas no nível da linguagem ordinária, alguém poderia alegar que sua solução é arbitrária. No curso de nossa pesquisa, discutimos se o apelo de Aristóteles ao conceito de homonímia é arbitrário ou filosoficamente defensável. Ademais, examinaremos se o filósofo, em sua prática científica, procura seguir ou prefere ignorar a restrição segundo a qual, para cada problema científico, deve haver apenas uma explicação adequada.

      2018 a 2020

    • Conhecimento Noético e Demonstrativo em Aristóteles: Filosofia da Ciência e Prática Científica

      Projeto de Pesquisa para atuação como Pesquisador Colaborador do PPG em Filosofia da Unicamp. O projeto se dedica ao estudo da relação entre νοῦς (o conhecimento dos princípios da ciência) e ἐπιστήμη ἀποδεικτική (conhecimento das verdades demonstráveis) tanto na filosofia da ciência de Aristóteles, como em sua prática científica. Quanto a este tema, é possível dividir a literatura secundária em dois grupos. Intérpretes ditos ?racionalistas? argumentam que os princípios são verdades auto-evidentes que podem ser conhecidas de maneira não-inferencial e independentemente de suas conexões explanatórias com outras proposições no domínio. Um segundo grupo de autores defende que os princípios só podem ser conhecidos enquanto princípios se forem apreendidas as suas relações explicativas com as verdades demonstráveis. Se é assim, conhecer cientificamente uma proposição significa determinar sua posição em uma rede de verdades interconectadas, seja como um princípio indemonstrável, seja como uma proposição suscetível de explicação científica. Pretendemos discutir essas hipóteses interpretativas, formular a nossa própria conjectura, e confrontá-las com as evidências textuais oferecidas pelo corpus aristotelicum. Este objetivo será perseguido em duas frente de trabalho: (i) consideraremos a filosofia da ciência de Aristóteles em si mesma, tal como desenvolvida nos Primeiros e Segundos Analíticos, procurando determinar de que modo o filósofo concebe a relação entre conhecimento noético e demonstrativo; (ii) estudaremos a prática científica de Aristóteles e seu grau de conformidade com suas doutrinas epistemológicas, nos concentrando na identificação de premissas indemonstráveis nos tratados científicos (com destaque para as obras Historia Animalium, de Partibus Animalium, de Generatione Animalium e De Caelo) e, assim, investigaremos como se dá, sob a perspectiva destes textos, a relação entre o conhecimento dos princípios e o conhecimento de fatos demonstráveis.

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Lucas Angioni

      2020 a 2022

    • Fundamentos Ontológicos da Filosofia da Ciência de Aristóteles

      A filosofia da ciência de Aristóteles encontra-se vinculada a um arcabouço conceitual ontológico do qual fazem parte a doutrina das categorias metafísicas e a prioridade da substância sobre os entes concomitantes. Entretanto, este arcabouço foi explorado em diversas etapas da carreira de Aristóteles, nem sempre com os mesmos propósitos teóricos. Em Categorias, o filósofo classifica os indivíduos da categoria da substância como os seres em sentido primeiro, dos quais a existência de todos os demais seres dependeria. Enquanto os demais entes são aquilo que são na medida em que se predicam de uma substância particular, esta última guarda com sua essência uma relação que não pode ser analisada nos termos de uma predicação mais básica. Por outro lado, nos Segundos Analíticos, Aristóteles parece atribuir às espécies universais uma prioridade (explanatória) em relação aos indivíduos aos quais se atribuem. Já em obras posteriores como a Física, procurando desenvolver uma ontologia que pudesse servir a uma filosofia das ciências da natureza, Aristóteles passa a descrever as substâncias particulares como compostos de matéria e forma, o que acarreta a rejeição da tese de que a relação de uma substância individual com sua essência não é analisável. Esta nova ontologia dos tipos naturais, enfim, só é desenvolvida em sua plenitude na Metafísica. A pesquisa aqui proposta tem como meta estudar estas teses ontológicas considerando-as em sua relação com filosofia da ciência de Aristóteles, investigando que diretrizes elas oferecem ao discurso epistêmico e à elaboração de explicações científicas.

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Lucas Angioni

      2014 a 2017

    • Teoria da Definição de Aristóteles

      Iniciação Científica - IC

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Lucas Angioni

      2009 a 2010

    • Explicação e Causalidade no livro II dos Segundos Analíticos de Aristóteles

      Iniciação Científica - IC

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Lucas Angioni

      2010 a 2010

    • Aspectos Formais e Ontológicos da Filosofia da Ciência de Aristóteles

      A teoria da demonstração de Aristóteles, desenvolvida nos Segundos Analíticos, não se limita a determinar os requisitos formais para a elaboração de argumentos probatórios que estabeleçam adequadamente os resultados da investigação científica. Ao aspecto probatório da demonstração, acrescenta-se o seu caráter prioritariamente explanatório, orientado por teses de forte conteúdo ontológico-metafísico, que envolvem noções como substância, essência e causalidade. Pretendemos analisar a relação entre estes dois âmbitos da filosofia da ciência de Aristóteles e investigar em que medida as características formais da demonstração (como sua forma silogística, a coextensão entre seus termos e a necessidade de suas proposições) mantêm ou não uma afinidade com o arcabouço metafísico a que está condicionada a atividade científica.

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Lucas Angioni

      2012 a 2014

    • A necessidade do conhecimento científico: um estudo sobre os Segundos Analíticos de Aristóteles

      A caracterização que Aristóteles faz dos eventos da natureza parece revelar uma incompatibilidade entre estes e os requisitos que o filósofo prescreve ao conhecimento que se pretende legitimamente científico. A descrição do conhecimento científico nos Segundos Analíticos nos apresenta o objeto da ciência como envolvendo um certo tipo de "necessidade", enquanto os eventos da natureza ocorrem apenas "no mais das vezes" (hôs epi to poly), mas não necessariamente. No entanto, o filósofo reconhece que há ciência dos estados de coisas naturais, assim como inclui no domínio do conhecimento científico os eventos que ocorrem "no mais das vezes". Pretendemos investigar em que sentido o objeto da ciência é dito "necessário", para então determinar em que medida Aristóteles está autorizado a admitir a cognoscibilidade dos fenômenos naturais.

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Lucas Angioni

      2010 a 2011

    University of Oxford

    • Studies on Causation and Essentialism in the Posterior Analytics

      Our aim is to analyse two dimensions of the model of demonstrative science that Aristotle develops in the Posterior Analytics. We shall approach those dimensions in two separate, though interconnected, lines of inquiry. In one of them, we intend to set out the connection between the syllogistic structure of Aristotle's model and some of his views on causation. In the other, we shall study the several kinds of per se predication, as Aristotle defines them in the Posterior Analytics, in order to understand how exactly the scientific explanation found in a demonstration is supposed to be essence-based.

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Lucas Angioni

      2016 a 2016

    • Causality, Scientific Explanation and Syllogistic in Aristotle´s Posterior Analytics

      The canonical model of argumentation in Aristotelian syllogistic corresponds to a formal scheme with two premises articulating only three terms. Why does Aristotle insist in such a triadic formal scheme? In the research here proposed, I will attempt to indicate one of the possible reasons. In Posterior Analytics II 16-17, Aristotle seems to adopt a thesis according to which the apprehension of causal relations and the formulation of scientific explanations involve the consideration of three items: (i) the "cause", (ii) "that of which it is cause" or "the thing caused" and (iii) "that for which it is cause". While the first two items integrate the explanatory link itself (explanans and explanandum), the third one denotes the class of individuals we take as objects of scientific investigation and in which that causal phenomenon is verified. Since causality is better described, not as a two-place relation, but as a three-place one, we find worthwhile to explore the hypothesis that Aristotle proposed a triadic formal scheme to scientific demonstration having in mind the tripartite structure of causality to be grasped thereby.

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Lucas Angioni, Michail Peramatzis

      2013 a 2013

    Universidade Federal de São Paulo

    • O ensino de Filosofia no Ensino Médio: desafios contemporâneos

      No âmbito do Curso de Licenciatura em Filosofia, este projeto visa promover uma série de ações (palestras, cursos, debates e publicações) no sentido de fomentar o debate e a produção de estudos e práticas em torno do ensino de Filosofia no Ensino Médio. Deve levar em conta inclusive a implementação da Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio. Visa envolver docentes que ministram aulas de Filosofia no Ensino Médio, professores e discentes da licenciatura e pós-graduandos que trabalham com temas afins, com objetivo de ampliar o escopo temático e aprimorar as práticas de ensino nas aulas de Filosofia no Ensino Médio, permitindo um debate qualificado de temas contemporâneos, inclusive de maneira a cumprir as leis 10.639/03 e 11.645/08, que tornam obrigatórios os estudos de História e Cultura Afro-brasileira, Africana e Indígena.

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Lucas Angioni, David Charles, Breno Andrade Zuppolini, Plínio Junqueira Smith, Marcelo Silva de Carvalho, SANDRO KOBOL FORNAZARI, TALES AFONSO MUXFELDT AB SABER, ALEXANDRE DE OLIVEIRA TORRES CARRASCO, IVO DA SILVA JUNIOR, CLAUDEMIR ROQUE TOSSATO, FRANCISCO DE AMBROSIS PINHEIRO MACHADO, ALEXANDRE DE OLIVEIRA FERREIRA, EDSON LUIS DE ALMEIDA TELES, ARLENICE ALMEIDA DA SILVA, LILIAN SANTIAGO, JUVENAL SAVIAN FILHO, SILVIO ROSA FILHO, TIAGO TRANJAN, AMANDA DE ALMEIDA ROMÃO, CECILIA CINTRA CAVALEIRO DE MACEDO, THIFFANY SOUZA DO NASCIMENTO

      Desde 2022

    • Os classicismos grego e latino - língua, literatura, filosofia, história, arqueologia, artes e cultura em geral.

      O Projeto de Extensão que se propõe visa tornar acessível ao público em geral, mas também ao público universitário ou especializado, o contato, por meio de ações de extensão universitária, curricularizadas ou não, com as culturas grega e latina antigas nos seus mais diversos aspectos: o estudo da língua, da literatura, da filosofia, da história, da arqueologia, das artes e da cultura em geral, por meio de cursos de língua, encontros de tradução, seminários, palestras, grupos de estudo, tutoria individual ou coletiva, exposições, workshops ou outros meios que se mostrarem adequados a disseminar, de forma não superficial, o conhecimento sobre a Grécia ou Roma antigas.

      Autores: Breno Andrade Zuppolini, Paulo Fernando Tadeu Ferreira, Fernando Maciel Gazoni, Maurício Pagotto Marsola, BIANCA FANELLI MORGANTI, ERICO NOGUEIRA, TALITA JANINE JULIANI, JOSIANE TEIXEIRA MARTINEZ, GILBERTO DA SILVA FRANCISCO, GLAYDSON JOSE DA SILVA, JOSE GERALDO COSTA GRILLO, LUCIA ROCHA FERREIRA, LUCIANO CESAR GARCIA PINTO, LUCIA SANO

      Desde 2022

    • Movimento, Capacidade e Efetividade na Física de Aristóteles

      O presente projeto pretende investigar a discussão sobre o conceito de movimento ou processo (κίνησις) em Física III 1-3 e sua relação com as noções de capacidade ou potencialidade (δύναμις) e atualidade ou efetividade (ἐντελέχεια, ἐνέργεια). Nossa intenção é produzir uma tradução comentada para o português de Física III 1-3 e um artigo sobre a definição de movimento em Física III 1.

      Desde 2022

    • Teorias da Argumentação em Aristóteles: contextos científicos, dialéticos e retóricos.

      O projeto é realizado pelo Grupo de Pesquisa Linguagem e Argumentação na Filosofia de Aristóteles, associado ao Núcleo de Estudos Clássicos da Universidade Federal de São Paulo. O trabalho se divide em três segmentos de pesquisa. O primeiro deles, liderado pelo Prof. Breno A. Zuppolini, tem como objeto os Segundos Analíticos, bem como os tratados científicos de Aristóteles, e investiga a noção de explicação apropriada e sua relação com o problema da unidade da definição em contextos epistemológicos. O segundo segmento, sob responsabilidade do Prof. Paulo F. T. Ferreira, tem por objetivo determinar em que medida estratégias argumentativas de corte dialético, em particular as estratégias de identificação e solução de falácias expostas nas Refutações Sofísticas, podem servir a propósitos distintivamente filosóficos nos tratados do corpus. Dirigido pelo Prof. Fernando M. Gazoni, o terceiro segmento estuda em que medida o silogismo retórico, em razão da necessidade de persuadir uma audiência específica, se distingue dos silogismos demonstrativos e dialéticos. Em razão de sua imbricação mútua, estas três frentes de trabalho serão exploradas em conjunto por todos os participantes. As atividades do grupo incluem, em particular, (i) a realização de seminários periódicos de leitura e intepretação de texto, (ii) encontros para a discussão de versões preliminares de itens da produção acadêmica dos participantes e (iii) organização e realização de eventos científicos, com participação de pesquisadores de instituições brasileiras e estrangeiras.

      Autores: Breno Andrade Zuppolini

      Desde 2023

    Atualização Lattes em 2024-04

    Processado em 2024-05-20