Bandar Live Casino
Terça, 22 Novembro 2022 12:15

Editora Unifesp tem nova diretoria

Mirhiane Mendes de Abreu assume o cargo, exercido por Cynthia Sarti desde 2016

Por José Luiz Guerra

Da direita para a esquerda, Mirhiane Mendes de Abreu e Cynthia Sarti
Da esq. para a dir.: as professoras Mirhiane Mendes de Abreu e Cynthia Sarti, respectivamente, atual e ex-diretora da Editora Unifesp (Foto: Mirhiane Mendes de Abreu/arquivo pessoal)

A Editora Unifesp tem nova diretoria. Mirhiane Mendes de Abreu, docente da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH/Unifesp) - Campus Guarulhos, foi eleita por unanimidade pelo Conselho Curador e assume no lugar de Cynthia Sarti, docente da mesma unidade acadêmica, que exercia o cargo desde 2016.

A nova diretora enalteceu o trabalho de excelência da antecessora, Cynthia Sarti, à frente da editora, e afirmou ter recebido o convite para assumir o cargo com honra e responsabilidade e falou sobre os desafios da gestão. “Talvez o maior deles seja captar obras excelentes, sejam estas produzidas pela Unifesp, sejam por outras instituições nacionais ou estrangeiras. A nossa editora já faz isso, tanto que recebeu prêmios, mas permanecer e progredir nesse caminho de excelência é, para mim, o maior desafio e a principal missão de uma editora universitária. O segundo maior desafio, intimamente relacionado ao anterior, é a divulgação para a comunidade acadêmica como um todo, tornando os livros conhecidos do público interessado”, completou.

Mirhiane Mendes de Abreu é professora adjunta de Literatura Brasileira da EFLCH/Unifesp - Campus Guarulhos. É graduada em Letras pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e mestre e doutora em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde também realizou o pós-doutorado. Realizou estágio de investigação em Paris 3 (Sorbonne Nouvelle) e foi, entre 2019 e 2021, pesquisadora colaboradora do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB/USP) e pesquisadora colaboradora do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL/Unicamp) entre 2007 e 2009. Atualmente, é colaboradora externa do Instituto de Estudos de Literatura e Tradição da Universidade Nova de Lisboa (IELT/UNL) e membro investigador do CLEPUL (Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias).

Balanço da gestão de Cynthia Sarti

Cynthia Sarti, professora titular de Antropologia da EFLCH/Unifesp, dirigiu a editora entre 2016 e 2022, com a responsabilidade de recuperar o projeto da editora, com apoio da administração central. “Tínhamos a convicção da importância crucial de uma editora para uma instituição acadêmica da estatura da Unifesp, em seu compromisso de divulgar para além de seus muros a pesquisa e a reflexão científicas realizadas na universidade, visando ampliar esse conhecimento para toda a sociedade”, comenta a ex-diretora. A reestruturação contou com o apoio da consultoria especializada do professor José Castilho Marques Neto, que havia dirigido a construção da Editora Unesp por 27 anos, com larga experiência em estruturação administrativa e editorial de editoras universitárias.

Em síntese, de acordo com Sarti, a editora necessitava de uma estrutura profissional, dentro dos padrões do mercado editorial universitário do país, que permitisse caminhar no sentido de sua sustentabilidade a médio prazo. “Junto ao professor Castilho e à equipe de colaboradores(as) da editora, com o apoio da FapUnifesp e da Reitoria da universidade, iniciamos a reestruturação organizacional, administrativa e comercial da editora, além de traçar estratégias para recolocá-la frente ao público leitor e a seus pares de edição acadêmica, dando-lhe visibilidade interna e externa à Unifesp, até chegarmos à estrutura atual da Editora, que desde 2019 está sediada no edifício da Reitoria da Unifesp”. Comenta.

Durante sua gestão a Editora Unifesp participou pela primeira vez como expositora da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, com um catálogo que chegava perto dos 100 títulos desde a sua fundação, marca que foi alcançada em 2017. “Em 2022, quando encerro minha gestão, a partir de uma meta de 20 livros anuais, pode-se dizer que chegamos aos 200 títulos em nosso catálogo, entre obras de professores da Unifesp e de outras universidades brasileiras, além de inúmeras traduções”, celebra a ex-diretora. A Editora Unifesp conta atualmente com 182 títulos publicados, além de 11 títulos em processo de produção editorial e três em tradução, com publicação prevista para o início de 2023; mais três foram recentemente aprovados pelo Conselho Editorial. A novidade é que, desde 2020, todos os títulos são publicados nos dois formatos, impresso e digital. Dentre os títulos anteriores, cujo contrato ainda está vigente, mais de 100 já foram também convertidos em e-books e estão disponíveis nas plataformas digitais. Também foi criado o Selo Unifesp Pesquisa, destinado a publicar, em e-book, os trabalhos científicos contemplados inicialmente com o Prêmio EFLCH de teses e dissertações, mas aberto a todas as premiações internas à Unifesp.

Sarti destacou a consolidação do lugar da Editora na Unifesp e reiterou que é fundamental o incentivo e o apoio institucional efetivo, de todos os conselhos superiores da universidade, à Editora. “Trata-se de um instrumento fundamental, junto ao Portal de Periódicos da universidade, que permite levar a toda a sociedade o conhecimento aqui produzido, como um compromisso de retorno do investimento público em nosso trabalho”. Lembrou também que a atual estrutura foi viabilizada por um duplo movimento político-institucional: além do reconhecimento da Editora Unifesp como uma das atividades-fim da universidade, com sua inclusão no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2021/2025) da universidade, houve, no mesmo sentido, a reafirmação do vínculo da editora com a FapUnifesp em seu novo Estatuto de 2020, que a inseriu em seu organograma como parte de sua Superintendência de Publicações. Por fim, desejou vida longa ao projeto, além de boa sorte e boas-vindas à professora Mirhiane na direção da editora.

 

Lido 284 vezes Última modificação em Terça, 29 Novembro 2022 10:57

Mídia