Bandar Live Casino
Quarta, 26 Janeiro 2022 13:33

Unifesp inicia monitoramento da areia de praias do Guarujá

Projeto Areia Viva, em parceria com prefeitura e associações privadas, vai acompanhar qualidade sanitária da areia e erosão de 10 praias da cidade

Por Denis Dana

Imagem Daniel JurinPexels portal
(Imagem ilustrativa)

A partir deste mês de janeiro, 10 praias do Guarujá, no litoral Sul de São Paulo, passarão a ter suas areias monitoradas. Trata-se do Projeto Areia Viva, idealizado conjuntamente por docentes do Instituto do Mar da Universidade Federal de São Paulo (Imar/Unifesp) - Campus Baixada Santista e pela Secretaria de Meio Ambiente do Guarujá. Esse projeto vai acompanhar por, pelo menos, dois anos, a qualidade sanitária da areia, bem como sua movimentação natural, com avaliação de possíveis cenários de erosão costeira.

O projeto Areia Viva também conta com a parceria das Secretarias Municipais do Meio Ambiente e da Educação, além de associações privadas que representam condomínios da cidade. Serão monitoradas as areias das praias do centro (Guaiuba, Tombo, Astúrias, Pitangueiras e Enseada) e praias da região da APA Serra do Guararú (Prainha Branca, Prainha Preta, Iporanga, São Pedro e Tijucopava).

“Atualmente, as análises da areia são feitas esporadicamente e não são levadas em conta para a avaliação da segurança do uso da praia. Só existe a bandeira vermelha para água. Nesta iniciativa, ao longo de dois anos, faremos coletas quinzenais da areia com vistas à sua qualidade sanitária. Para isso, serão monitorados patógenos como Escherichia coli e Enterococcus intestinais, prejudiciais à saúde. Este monitoramento vai permitir avaliar a segurança de uso das praias por parte dos banhistas, além de identificar possíveis fontes de contaminação”, explica Vinícius Ribau Mendes, professor do IMar/Unifesp e coordenador do projeto.

Além do monitoramento dos patógenos, os pesquisadores também acompanharão durante todo o ano a movimentação natural da areia nessas 10 praias. “Os dados nos ajudarão a avaliar a influência da balneabilidade da água do mar na qualidade sanitária da areia e vice-versa, assim como servirá também para avaliar cenários de erosão costeira nesses locais”, destaca Mendes.

Participação de jovens de escola municipal

O projeto Areia Viva contará com uma estratégia inovadora em sua execução, com a participação de três alunos do último ano do curso técnico em Meio Ambiente com ênfase em Química da Escola Municipal Primeiro de Maio. Um laboratório está sendo montado no colégio e os jovens estão sendo capacitados para realizarem as análises microbiológicas das areias coletadas. Os alunos participantes receberão bolsas durante o período de duração do projeto e atuarão nas análises laboratoriais no regime de contraturno (4h diárias, totalizando 20h semanais), de forma a não atrapalhar seus estudos.

“O trabalho de análises será acompanhado por um aluno do IMar/Unifesp, que fará a mediação entre os jovens do colégio e a coordenação do projeto Areia Viva, de forma a traduzir os achados em informações que serão compartilhadas com a Secretaria do Meio Ambiente e também com moradores e turistas que frequentam e aproveitam o nosso litoral”, diz Mendes.

Os primeiros resultados devem sair a partir de meados de fevereiro de 2022.

Lido 1108 vezes Última modificação em Quarta, 26 Janeiro 2022 14:32

Mídia