Quarta, 11 Outubro 2023 15:05

Unifesp sedia XV Congresso Brasileiro de História Econômica & 16.ª Conferência Internacional de História das Empresas

Realizado no Campus Osasco, eventos foram os primeiros da ABPHE a serem retomados de forma presencial

Por José Luiz Guerra

A Escola Paulista de Política, Economia e Negócios (Eppen/Unifesp) - Campus Osasco, sediou, nos dias 2, 3 e 4 de outubro de 2023, o XV Congresso Brasileiro de História Econômica e a 16.ª Conferência Internacional de História das Empresas. Os eventos compõem a programação regular da Associação Brasileira de Pesquisadores em História Econômica (ABPHE), associação que, neste ano, comemora os 30 anos de sua fundação.

Voltado para pesquisadores, professores e estudantes de graduação e pós-graduação dos cursos de Ciências Econômicas, História, Administração, Ciências Sociais e áreas afins, assim como empresas públicas e privadas que tenham interesse por pesquisas acerca da História Econômica e História de Empresas, os eventos, que ocorrem desde o início da fundação da associação, têm por objetivo discutir, sob o enfoque histórico e sob diversas metodologias, temas de alta relevância para a compreensão da economia e dos processos de desenvolvimento econômico e social. Na edição deste ano contou com a participação de docentes, estudantes e pesquisadores(as) de 65 instituições de ensino de todo o país. Foram aceitos 204 trabalhos, apresentados em 49 sessões ordinárias. Além disso, houve o lançamento de 14 livros.

Participaram da mesa de abertura a reitora, Raiane Assumpção, o diretor da Eppen/Unifesp, Celso Yokomiso, o pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa, Fernando Atique, o presidente da ABPHE, Bruno Aidar, o coordenador da Pós-Graduação em Economia e Desenvolvimento da EPPEN/Unifesp, Veneziano Araújo e secretário de Planejamento e Gestão, Eder Bedois que, na ocasião, representou o prefeito de Osasco, Rogério Lins.

A docente da Unifesp Claudia Tessari, que também é vice-presidente ABPHE, deu as boas vindas em nome da comissão organizadora e disse ser uma grande alegria poder receber, de forma presencial, o evento na Eppen/Unifesp, em especial no ano de comemoração de 30 anos da entidade científica. “Vivemos um momento de retomada da ciência, da pós-graduação e do sistema universitário, após anos sem reajustes de bolsas, investimentos em pesquisas e, esse ano podemos contar com apoio da Capes, da Fapesp e da nossa Pró-Reitoria de Pós-Graduação e o resultados já apareceram nesta edição do congresso”. Claudia destacou que a organização recebeu 240 inscrições de trabalho, dentre os quais 204 foram aceitos, sendo metade deles elaborados por mestrandos(as) e doutorandos(as), provenientes de 65 instituições de diferentes regiões do Brasil e agradeceu, nominalmente, cada membro da comissão organizadora.

Veneziano Araújo cumprimentou a todos(as) os(as) integrantes da mesa e os participantes do evento e celebrou a possibilidade do evento ser realizado de forma presencial, propiciando a troca do conhecimento. “A  tecnologia mais eficiente de comunicação ainda é o face to face, pois só assim é possível entender e compreender, de maneira muito mais eficiente, a transmissão de conhecimento”. O docente disse acreditar na academia, nas pessoas e na sua capacidade de transmitir o que sabem.

Celso Yokomiso agradeceu os(as) participantes do evento e parabenizou os(as) organizadores(as), que durante meses planejaram cada detalhe do evento. “Esse é um dos eventos de maior porte da EPPEN/Unifesp, e estamos felizes de receber professores(as), pesquisadores(as) e alunos(as) de diversas partes do país para debater temas da mais profunda relevância”. Reforçou ainda que os debates formam um pensamento crítico e as ações derivadas deles constituem estratégias poderosas para promover as mudanças mais afinadas com as necessidades humanas e disse esperar que o campus possa continuar sendo espaço para receber eventos como esses.

Fernando Atique ressaltou que estava participando do primeiro evento como pró-reitor e ao lado de pessoas que são referências na sua carreira e afirmou que os temas debatidos no evento são de extrema importância para o momento pelo qual o país está passando, após uma tentativa de desmonte da educação e da necessidade de reconstrução do país. “É uma alegria enorme ver que a EPPEN/Unifesp, que, por meio do programa de pós-graduação em Economia e Desenvolvimento, possibilitar a chegada desse conjunto de pesquisadores tão renomados na área”, comentou o pró-reitor, que também desejou um bom evento a todos(as) os(as) participantes.

“Estou muito feliz por estar aqui. A Unifesp iniciou suas atividades em Osasco em 2011 e, para a nossa cidade, existe o antes e o depois da Unifesp. A contribuição que a universidade dá para a cidade na área de gestão é excelente”, afirmou Eder Bedois. O secretário se disse muito honrado em participar do evento e lembrou da trajetória da cidade, que é, atualmente, a 6ª maior economia do país, mas que tem o desafio de aumentar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). “São nas cidades que as pessoas vivem e é para essas pessoas que devemos melhorar a nossa cidade”, completou.

Bruno Aidar agradeceu pelo trabalho desenvolvido pela comissão organizadora e também comemorou o retorno presencial das atividades. “Não dá pra ficarmos só com atividades virtuais. É necessário um abraço, uma conversa presencial com os(as) colegas, tomar um café, uma cerveja… isso faz parte da nossa cultura acadêmica”. O presidente da ABPHE também destacou a necessidade de acolher historiadores e pesquisadores da área de história econômica que sejam mais plural, democrática e representativa do ponto de vista da diversidade regional, de gênero e racial.

Finalizando as falas da mesa de abertura, Raiane Assumpção cumprimentou a direção do campus, a comunidade acadêmica, as comissões organizadora e científica, além dos(as) participantes. “Essa unidade é uma das mais novas da Unifesp, mas que tem uma grande produção intelectual e formado pessoas de altíssima qualidade”. Agradeceu também o apoio da prefeitura de Osasco pelo apoio e pelas ações realizadas conjuntamente. A reitora apontou a importância da participação não só de estudantes de pós-graduação, como também da graduação. Raiane elogiou também a presença de diversas instituições do país. “Ter a presença dessas inúmeras instituições aqui é motivo de muito orgulho e de possibilidade de ações futuras, pois encontros como esse também permitem a possibilidade de debatermos temas comuns, pois entendemos que cada vez mais é impossível ter um tema para chamar de seu. Na medida em que trabalhamos em rede conseguimos melhores respostas”.

Ressaltou também que o congresso reafirma a instituição como produtora de conhecimento e de formação de pessoas. “Nossa universidade está chegando em um processo de maturação nas diversas áreas do conhecimento. Somos uma universidade diversa, complexa e entendemos que a produção do conhecimento deve fazer parte do nosso cotidiano e ser referência”.  Por fim, ressaltou que o evento é realizado em um momento no qual as universidades estão sendo novamente chamadas para contribuir com o debate sobre os problemas atuais. “Isso é muito importante, pois tínhamos perdido o lugar social e esse chamado das universidades sendo chamadas para contribuir com o aporte científico para pensar em um modelo de desenvolvimento científico é algo muito importante”, concluiu.


Fotos: Alex Reipert

Lido 534 vezes Última modificação em Quinta, 19 Outubro 2023 14:09

Mídia